Dekasseguis que receberem ajuda, terão que esperar três anos para voltar ao Japão

Ajuda para aqueles que quiserem voltar ao Brasil, virá com a exigência de que não retornem ao Japão por três anos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os imigrantes brasileiros que recorrerem à ajuda financeira dada pelo governo do Japão para voltar ao Brasil, terão que esperar três anos para poder retornar ao país asiático. A decisão foi anunciada na última segunda-feira (11). Até então, a ajuda financeira para os desempregados brasileiros estava condicionada ao impedimento de voltarem ao Japão por tempo indeterminado.

A adoção de um prazo foi comemorada pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi. “Esta medida é fundamental para a manutenção dos laços irmãos entre Brasil e Japão”, afirmou.

Anteriormente, o ministro havia criticado a iniciativa, tendo, inclusive, entregado uma carta de protesto ao embaixador japonês no Brasil, Ken Shimanouchi. “Não é justo que brasileiros que ajudaram durante todos esses anos na construção de um Japão forte e soberano sejam tratados dessa maneira. Os trabalhadores não são materiais descartáveis que, quando não servem mais, são devolvidos ao Brasil apenas com a passagem de retorno, não levando em consideração as pessoas que constituíram famílias por lá”, argumentou na ocasião.

Medidas brasileiras

Aprenda a investir na bolsa

O governo brasileiro também decidiu adotar algumas medidas para ajudar os imigrantes brasileiros que passam por dificuldades no Japão, devido à crise financeira e ao consequente desemprego. No último dia 6, o Ministério do Trabalho e Emprego aprovou algumas ações de auxílio, entre elas está a criação de mecanismos para que brasileiros moradores no exterior tenham fácil acesso ao saldo e ao saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) no Brasil.

Além disso, foi criada uma comissão de consultas bilaterais entre Brasil e Japão para o tema trabalho e migrações laborais, para acompanhar o movimento migratório entre os dois países, de forma que aqueles que decidam migrar ou retornar, o façam de forma ordenada e protegida.

Há também a expectativa de implantação da Casa do Trabalhador no Japão, ainda no segundo semestre deste ano, e a implantação de cursos específicos para aqueles que retornaram do país asiático.

As medidas atendem a brasileiros de todos os países, porém, algumas ações estão centradas no Japão, por ser esse o país que mais concentra brasileiros emigrantes, e também por ser um dos mais atingidos pela crise econômica.