Decisão do Senado

Defesa de Dilma diz que recorrerá, mas presidente afastada dá sinais de esgotamento

"Nas últimas semanas, deixou escapar sentir saudades de uma vida normal, mas a renúncia é carta fora do baralho", afirmou coluna Painel, da Folha

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Senado aprovou, por 55 votos a favor e 22 contra, a admissibilidade do processo deimpeachment da presidente Dilma Rousseff; com isso, ela será afastada do cargo por até 180 dias. Porém, segundo informou o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, ele ainda tentará reverter na Justiça a decisão tomada pelo Senado. 

“Ainda vamos judicializar várias questões, mas no momento certo”, afirmou o advogado-geral da União do governo Dilma, José Eduardo Cardozo, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo. 

Porém, apesar do discurso de resiliência e da imagem de que cresce na dificuldade, a presidente afastada Dilma Rousseff dá sinais de esgotamento, informa a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, com os petistas preocupados com a sua disposição para liderar a defesa até o julgamento definitivo pelo Senado.

Aprenda a investir na bolsa

“Nas últimas semanas, deixou escapar sentir saudades de uma vida normal, mas a renúncia é carta fora do baralho. Alguns traduzem os sinais como se quisesse ‘se livrar disso’. Entre as decepções da reta final, o Supremo. Dilma repete que a corte joga ‘contra’ ela”, afirma a coluna.