Defesa de Bolsonaro pede ao STF que plenário analise impedimento de Moraes

Advogados apresentaram novo recurso à decisão do presidente do STF, Luís Roberto Barroso, que negou pedido de afastamento de Moraes da relatoria de inquérito sobre atos golpistas

Fábio Matos

Publicidade

Os advogados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) não desistiram de tentar afastar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), da relatoria das investigações envolvendo os atos antidemocráticos e os ataques às instituições em 8 de janeiro de 2023.

Nesta terça-feira (27), a defesa de Bolsonaro apresentou um novo recurso à decisão do presidente do STF, Luís Roberto Barroso, que rechaçou o pedido da defesa pelo afastamento do magistrado.

O argumento dos advogados do ex-presidente é o mesmo das manifestações anteriores: o de que Moraes não teria isenção para comandar o inquérito na Corte porque, em tese, seria uma das vítimas dos supostos atos golpistas.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Investigações da Polícia Federal (PF) no âmbito da Operação Tempus Veritatis, deflagrada em meados de fevereiro, apontam que Bolsonaro e aliados teriam atuado na elaboração da chamada “minuta do golpe” – um possível decreto que previa a prisão de Moraes e a anulação das eleições presidenciais de 2022, vencidas por Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Bolsonaro nega qualquer participação em tentativa de golpe de Estado.

Os advogados do ex-presidente pedem agora que o plenário do STF analise o possível afastamento de Moraes da condução do caso.

“O fato de que o ministro relator se enxerga como vítima direta dos atos investigados claramente gera o risco de parcialidade no processamento e julgamento do feito”, dizem os defensores de Bolsonaro.

Continua depois da publicidade

“Não se ignora e nem poderia se ignorar o notório saber jurídico do ilustre ministro Alexandre de Moraes, sendo um jurista academicamente qualificado e experiente. Contudo, é inescapável que, como todo ser humano, possa ser influenciado em seu íntimo, comprometendo a imparcialidade necessária para desempenhar suas funções”, diz o recurso apresentado pela defesa.

Newsletter

Infomorning

Receba no seu e-mail logo pela manhã as notícias que vão mexer com os mercados, com os seus investimentos e o seu bolso durante o dia

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Fábio Matos

Jornalista formado pela Cásper Líbero, é pós-graduado em marketing político e propaganda eleitoral pela USP. Trabalhou no site da ESPN, pelo qual foi à China para cobrir a Olimpíada de Pequim, em 2008. Além do InfoMoney, teve passagens por Metrópoles, O Antagonista, iG e Terra, cobrindo política e economia. Como assessor de imprensa, atuou na Câmara dos Deputados e no Ministério da Cultura. É autor dos livros “Dias: a Vida do Maior Jogador do São Paulo nos Anos 1960” e “20 Jogos Eternos do São Paulo”.