Decisão boliviana de se apoderar do controle de refinarias surpreende Lula

Informação é do ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau; "coisas não podem ser desse jeito", afirma ministro

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se surpreendeu com a decisão do governo boliviano de transferir o controle das refinarias em operação no país para a estatal YPFB, que passará a deter ainda a exclusividade sobre a comercialização de combustíveis no mercado interno e externo.

A informação é do ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau. “O presidente reagiu, porque o assunto surpreendeu. Sinto uma postura firme do presidente de que as coisas não podem ser desse jeito. Se as relações não melhorarem não é por culpa do Brasil. O presidente tem sido claro e temos limites que têm que ser defendidos”, afirmou.

Entenda o caso

A nova resolução boliviana estabelece que todas as refinarias em operação na Bolívia deverão entregar os combustíveis e demais derivados produzidos a YPFB, que comercializará os produtos e terá 30 dias para pagar às refinarias.

Aprenda a investir na bolsa

Além disso, as margens de lucro das refinarias serão definidas pelo governo boliviano, sendo que a gerência dos empreendimentos também ficará sob responsabilidade da YPFB.

A Petrobras, cujas refinarias respondem por 90% do refino na Bolívia, diz que a medida inviabilizará suas operações. A empresa descreve que como as margens de refino estipuladas pela Superintendência de Hidrocarbonetos da Bolívia não são suficientes para cobrir os custos, a situação vinha sendo compensada com os ganhos obtidos com a exportação de produtos.