Resumo do dia

De Lula a lista de Janot: as 4 notícias políticas que “abalaram” o mercado hoje

Desde a manhã, noticiário político não parou nesta terça-feira e deixou os investidores bastante apreensivos

SÃO PAULO – Enquanto todos se preparavam para mais um dia de cautela no mercado por conta da reunião do Fed amanhã, o noticiário político ganhou força e uma série surpresas atingiu os investidores com força durante toda esta terça-feira (14). Logo pela manhã, o ex-presidente Lula depôs na Justiça, mas o que acabou chamando atenção foram duas grandes novidades durante a tarde.

A primeira delas foi a informação de que o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, iria finalmente entregar sua lista de pedidos de inquérito nesta tarde – o que acabou acontecendo. Na sequência, azedando o Ibovespa e fazendo o dólar disparar, rumores passaram a apontar que o governo adiou sua expectativa de votação da reforma da Previdência em um mês – algo que pode atrasar bastante a conclusão do projeto.

Isso acabou deixando praticamente de lado a aprovação, pelo Senado, do novo projeto da repatriação de recursos no exterior. Confira os detalhes de cada um destes eventos abaixo:

PUBLICIDADE

1) Depoimento de Lula
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou depoimento à Justiça Federal de Brasília na manhã desta terça, na ação em que é acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato. O petista é réu juntamente com o pecuarista José Carlos Bumlai, o banqueiro André Esteves, o ex-senador Delcídio do Amaral e mais três pessoas.

Entre os principais momentos do depoimento, Lula afirmou que, há dois anos, tem sido “vítima de um massacre”. “O senhor não sabe como é acordar todo dia com medo de a imprensa estar na sua porta, achando que você vai ser preso”, disse Lula ao juiz Ricardo Augusto Soares Leite.

“Um cidadão considerado o melhor presidente deste país, que saiu com mais de 80% de aprovação se vê em meio de manchetes mentirosas de jornal”, afirmou. Lula ainda disse que, apesar do volume de notícias de cunho negativo ao seu respeito, seu desempenho em sondagens eleitorais continuará incomodando opositores. “Vou matar eles de raiva, porque em todas as pesquisas, vou aparecer na frente”, declarou.

O ex-presidente ainda defendeu seu partido e disse que só uma pessoa poderia ter medo da delação do Cerveró, que seria Delcídio. O petista ainda afirmou que não é contra a Lava Jato, mas contra “execrar as pessoas pela imprensa”. “Em nome da liberdade de imprensa, ninguém pode avacalhar a vida dos outros”, disse ele. Confira mais detalhes do depoimento clicando aqui e assista a íntegra aqui

2) Reforma da Previdência “adiada”
Durante a tarde o Valor Pro afirmou que o Palácio do Planalto passou de abril – prazo inicialmente previsto para votar a reforma da Previdência na Câmara dos deputados – para o dia 9 de maio no cálculo mais otimista, a expectativa da votação na Câmara. Com isso, a votação no Senado, esperada para julho, poderá ficar apenas para “meados” do segundo semestre.

Durante a tarde, segundo informações da Bloomberg, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia foi enfático ao dizer que “não é verdade” a informação sobre este adiamento da reforma.

PUBLICIDADE

3) Lista de Janot
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal), nesta terça-feira (14), 83 pedidos de abertura de inquérito, a partir dos acordos de colaboração premiada firmados com 77 executivos e ex-executivos das empresas Odebrecht e Braskem.

Também foram solicitados 211 declínios de competência para outras instâncias da Justiça, nos casos que envolvem pessoas sem prerrogativa de foro, além de 7 arquivamentos e 19 outras providências. Os acordos foram assinados nos dias 1º e 2 de dezembro de 2016 e homologados pela presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, em 30 de janeiro deste ano. As declarações estão inseridas e diretamente vinculadas à Operação Lava Jato. Veja mais clicando aqui.

Poucas horas depois, começaram a vazar os primeiros nomes que estariam na lista. Segundo os jornais O Estado de S. Paulo e O Globo, os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff constam na lista. Além deles, os tucanos Aécio Neves (MG) e José Serra (SP) também estão nos pedidos de inquérito no STF.

Na lista estão ainda, segundo estas publicações, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), além de 5 ministros e outros parlamentares. Clique aqui para conferir a lista.

4) Repatriação aprovada
O Senado aprovou na tarde desta terça-feira (14) o projeto que cria uma nova etapa do programa de repatriação, que permite que quem tem recursos no exterior não declarados possa regularizar sua situação junto à Receita.

Os senadores votaram o texto aprovado pela Câmara no mês passado, que excluiu a possibilidade de parentes de políticos e de agentes públicos poderem aderir ao programa. O projeto agora segue para sanção presidencial.

De acordo com a nova versão do projeto, o prazo para a repatriação será de 120 dias, a serem contados a partir da data de regulamentação do tema pela Receita Federal.