Paz e amor?

De grosseiro a filhinho de papai: as 5 críticas de Lula a Aécio – em apenas uma semana

Em poucos dias, o ex-presidente da república fez comícios e concedeu entrevistas em que aumentou o tom contra o tucano

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Está chegando cada vez mais perto a hora de sabermos quem será o novo presidente da república: Dilma Rousseff (PT) ou Aécio Neves (PSDB).

E com isso, os ataques aumentaram entre os dois candidatos no início da semana passada, o que ficou evidenciado no debate do SBT na última quinta-feira. Mas, com a reprovação dos eleitores em relação à conduta dos dois presidenciáveis, eles acabaram abaixando o tom. Contudo, Dilma deixou esta missão mais árdua para o seu mentor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Antes mesmo da petista e do presidenciável tucano abaixarem o tom, Lula já desferia ataques contundentes a Aécio Neves, depois de um primeiro turno em que o ex-presidente passou um pouco desapercebido na campanha da petista. 

Aprenda a investir na bolsa

Contudo, agora os ataques são fortes e atingem pessoalmente Aécio. Em apenas uma semana, diversos ataques foram feitos, e tratando principalmente de questões pessoais. Confira abaixo algumas das pesadas alfinetadas de Lula ao tucano nos últimos dias: 

1) Dia 15 de outubro
Naquele dia, em evento realizado no Pará, Lula questionou a “decência” e a “competência” para governar o país de quem se recusa a fazer teste do bafômetro, fazendo referência a Aécio Neves. O tucano se recusou a soprar o bafômetro numa blitz no Rio de Janeiro em 2011. 

“Como é que alguém se recusa a fazer um simples teste do bafômetro pode dizer que vai governar este país com decência e competência? Palavras são muito fáceis de dizer”, declarou.

2) Dia 16 de outubro
Em evento no Amazonas, Lula afirmou que o tucano tem sido “ignorante” com Dilma Rousseff em debate (o evento aconteceu logo após o debate do SBT, tido como o mais agressivo de todos).

“Quando vejo um homem na televisão ser ignorante com uma mulher, como ele tem sido com a Dilma nos debates, eu fico pensando que se esse cidadão é capaz de gritar com uma presidenta, fico imaginando quando ele encontrar um pobre, é capaz de pisar e não enxergar”, afirmou. E ele ainda repetiu as críticas de que os “tucanos governam para as elites”. “Este País tem que ser governado apenas com a cabeça da elite brasileira. Esse País tem que ser governado pelo sentimento do coração. Queremos um País onde todos possam tomar café, almoçar, jantar e estudar”, afirmou o ex-presidente.

3) Dia 20 de outubro
Em entrevista para a Rádio Jornal Commercio, de Recife
Lula voltou a criticar o PSDB. “O problema dos tucanos é que eles têm voo curto e eles não conseguem sair do Sudeste. Eles ficam aqui. Eles não têm voo para chegar no Nordeste ou para chegar no Norte”, disse o petista, criticando a postura de seus adversários em relação às regiões Norte e Nordeste.

PUBLICIDADE

“São bons de bico, aquele bicão grande, amarelo. Sabe para que que serve? Para comer os filhotes de passarinho e comer ovo dos passarinhos. São predadores”, completou.

4) Dia 20 de outubro (parte II)
Em evento realizado à noite no Teatro Tuca, na PUC-SP, Lula defendeu fervorosamente a presidenciável petista e chamou Aécio de grosseiro. “Dilma apanha mais do que eu. Analisando o tratamento de Aécio a Dilma, eu sinceramente fico pensando que esse rapaz deve ter um problema. Ele é grosseiro. Jamais teria coragem de chamá-la de leviana e mentirosa. Por mais que eu não suportasse ela. Essas coisas vem de berço, a gente não aprende na universidade”, alfinetou Lula.

5) Dia 21 de outubro
Lula subiu mais uma vez o tom contra os tucanos, chegando a compará-los com nazistas“De vez em quando parece que estão agredindo a gente (os nordestinos) como os nazistas na Segunda Guerra Mundial”, afirmou o ex-presidente. “Eles são intolerantes. Outro dia eu dizia para eles: vocês são mais intolerantes que Herodes, que mandou matar Jesus Cristo com medo de ele virar o homem que virou”, afirmou. 

E não parou por aí. Lula chamou Aécio de “grosseiro”, “mal educado” e “filhinho de papai” e ainda criticou a revista The Economist por apoiá-lo.

“Essa semana fiquei pasmo. Fiquei sabendo que a revista “The Economist” disse que o povo tinha que votar no outro candidato. Quem eles pensam que são, pensam que podem dar ordem lá de fora. Já expulsamos os gringos daqui”, afirmou Lula durante comício no Recife, Pernambuco.