RADAR INFOMONEY Petrobras vai se transformar na nova máquina de dividendos da Bolsa? Assista ao programa desta 6ª

Petrobras vai se transformar na nova máquina de dividendos da Bolsa? Assista ao programa desta 6ª

Datafolha

Datafolha: só 10% aprovam Dilma; Aécio ganharia com 35% se eleição fosse hoje

Em relação a abril, a reprovação de Dilma subiu 5 pontos, para 65%, e a aprovação oscilou três pontos para baixo, só não sendo a pior do que a de Fernando Collor

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A presidente Dilma Rousseff atinge um novo recorde de reprovação, conforme aponta a pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo neste sábado (20). A presidente chega ao final do primeiro semestre de seu segundo mandato com a reprovação de 65% dos brasileiros, proporção esta de eleitores que considera o governo da presidente como “ruim” ou “péssimo”. 

No histórico de pesquisas do instituto, essa taxa de reprovação só não é mais alta do que os 68% atingidos pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello em setembro de 1992, poucos dias antes do impeachment. Porém, considerando a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, trata-se de um empate técnico. Apenas 10% dos eleitores pensam que o governo da petista é “bom” ou “ótimo”. Na véspera de ser afastado da Presidência, em 1992, Collor tinha 9% de aprovação.

Em relação a abril, a reprovação subiu 5 pontos e a aprovação oscilou três pontos para baixo. 

E avaliação baixa está em patamares parecidos entre todos os níveis de renda. Entre aqueles que têm renda salarial de até dois salários mínimos, 62% a reprovam enquanto, entre aquele que recebem mais de 10 salários mínimos, essa taxa sobe para 66%. No Sudeste, 7% aprovam a presidente e, no Nordeste, 14%. 

O levantamento do Datafolha foi feito com 2.840 pessoas em 174 municípios do país entre quarta-feira e quinta-feira, ou seja, antes da 14ª fase da Operação Lava Jato, que ocorreu na última sexta-feira e que levou à prisão de Marcelo Odebrecht e Otávio de Azevedo, presidentes, respectivamente, da Odebrecht e Andrade Gutierrez.

Simulações
Em uma simulação realizada pelo Datafolha, caso fosse realizada hoje uma eleição para presidente da República, Aécio Neves (PSDB-MG) teria 35% das intenções de voto, com cerca de dez pontos de vantagem sobre o ex-presidente Lula (25%).

Em terceiro lugar estaria Marina Silva (PSB), com 18% das intenções de voto. O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (PSOL) alcançaram 2% cada um.

O Datafolha também realizou uma simulação da disputa presidencial com o nome de Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo. Neste caso, Lula e Marina empatariam tecnicamente em primeiro lugar com 26% e 25%, respectivamente. O governador de SP, Geraldo alckmin ficaria em terceiro lugar com 20%, enquanto Paes e Luciana Genro teriam 3% das intenções de voto, cada um.