Eleições

Datafolha: Marina empata com Dilma no 1º turno e venceria por 10 pontos no 2º turno

Candidata do PSB disparou 13 pontos percentuais desde a última pesquisa; enquanto isso, Aécio Neves caiu de 20% para 15% das intenções de voto

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A nova pesquisa Datafolha, divulgada nesta sexta-feira (29), mostrou que Marina Silva (PSB) ganhou 13 pontos desde a última pesquisa do instituto, realizada em 18 de agosto, e agora tem 34% das intenções de voto, empatada com o mesmo percentual de Dilma Rousseff (PT). Enquanto isso, o candidato do PSDB, Aécio Neves, apresentou forte queda, indo dos 20% do dia 18 para atuais 15%.

Entre os candidatos “nanicos” a soma de todos chega a 3%, enquanto eleitores que pretendem votar em branco atingiu 7%, mesmo percentual de pessoas que se mostram indecisas. O Datafolha ouviu 2.874 eleitores em 178 municípios entre ontem e hoje. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em um possível segundo turno, Marina Silva seria eleita presidente com 50% dos votos, contra 40% de Dilma Rousseff, uma ampla vantagem de 10 pontos percentuais. Caso a disputa seja entre Dilma e Aécio Neves, a candidata petista venceria por 48% contra 40%.

Aprenda a investir na bolsa

Avaliação do governo piora
A avaliação do governo da presidente piorou, apontou o levantamento. O porcentual de eleitores que considera a gestão de Dilma ótimo ou boa oscilou de 38% para 35%.

Por outro lado, o total que avalia o governo como regular passou de 38% para 39%. No mesmo sentido, a avaliação ruim ou péssima para a gestão da petista chegou a 26%, de 23% no levantamento anterior. Cerca de 1% do eleitorado não quis ou não soube responder a questão.

Taxa de rejeição de Dilma volta a subir
A rejeição dos três principais presidenciáveis avançou. A alteração de Dilma, porém, foi menos expressiva que a de seus dois opositores.

Enquanto a taxa de rejeição da candidata petista oscilou apenas 1 ponto porcentual, de 34% para 35%, os índices de Aécio e de Marina subiram 4 pontos porcentuais. A taxa de rejeição do tucano chegou a 22%, ante 18% na leitura anterior. O índice de Marina passou de 11% para 15%.