Entrevista

Datafolha indica que oposição tem mais espaço para crescer, aposta Mizuho

A instituição financeira avalia que Dilma Rousseff deve se preocupar mais com resultado do levantamento do que pré-candidatos ao comando do Planalto pelos partidos oponentes.

Eduardo Campos, presidential candidate and former governor of the state of Pernambuco, speaks during an interview in Sao Paulo, Brazil, on Thursday, April, 17, 2014. Campos said he would grant the central bank full autonomy and reduce intervention in the economy to shore up confidence and fight inflation. Photographer: Paulo Fridman/Bloomberg *** Local Caption *** Eduardo Campos

SÃO PAULO – O resultado da mais recente pesquisa do Datafolha indica que mesmo com a queda nas intenções de voto, a oposição tem mais chances de crescer na corrida eleitoral do que a presidente Dilma Rousseff quando a campanha engrenar na televisão, avaliou Luciano Rostagno, estrategista-chefe do banco Mizuho. A melhora do desempenho de Aécio Neves e Eduardo Campos, principais oponentes da petista nas urnas em outubro, deve ocorrer porque eles são bem menos conhecidos do que ela pelo eleitor. 

Para a instituição financeira, o atual cenário deve representar uma preocupação para a base do governo. Na pesquisa – divulgada na madrugada desta sexta-feira – Dilma aparece com 34%, seguida ppor Aécio (19%) e Campos (7%). A vantagem que a petista sustentava frente ao tucano diminuiu fortemente no mais recente levantamento. A liderança da presidente no segundo turno também não seria tão tranquila como mostravam as pesquisas anteriores, acredita Rostagno.  

“A queda de Dilma na mais recente pesquisa do Datafolha fez preço em câmbio, DI e na Bolsa”, explicou o economista-chefe do Mizuho. 

PUBLICIDADE