O dia depois...

Da preparação da PF para a prisão à insistência pela candidatura: o day-after da condenação de Lula

Noticiário sobre o petista dominou as atenções durante o feriado

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Lula, Lula, Lula. O ex-presidente dominou o dia de feriado em São Paulo, que levaria normalmente a um noticiário mais morno por conta da não operação da B3. 

Contudo, a repercussão da confirmação da condenação do petista em segunda instância por um placar de 3 a 0 no final da tarde da última quarta-feira seguiu sendo destaque, em meio às análises sobre qual será o futuro do ex-presidente e como o PT deve reagir.

 Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Aprenda a investir na bolsa

Esta quinta, por sinal, marcou a reafirmação da candidatura dele à presidência em evento realizado pelo PT em São Paulo. Porém, a avaliação é de que haverá dificuldades para que ele consiga apoio de outros partidos, que veem a candidatura inviabilizada, enquanto a possibilidade de que ele seja preso ainda no primeiro semestre também paira no radar – e leva a planejamento até da própria Polícia Federal sobre como será o dia em que ele será levado a prisão. Confira abaixo o que foi destaque no noticiário no “day-after” da condenação do petista:

PF se prepara para o dia da prisão de Lula
Com a condenação em segunda instância confirmada pelo TRF por placar unânime e pena de doze anos e um mês de prisão, o ex-presidente  – e a possibilidade de prisão do petista dentro de alguns meses ganhou força. Segundo a Coluna do Estadão, do Estado de S. Paulo, na cúpula da PF há a preocupação de como será o procedimento. 

Buscá-lo em casa de camburão teria a mesma repercussão de quando Lula foi alvo de condução coercitiva pela PF, em março de 2016. Assim, uma ideia seria combinar com os advogados para que ele se apresente no local onde irá cumprir a pena. “Se não houver acordo com a defesa, como Lula não tem direito a prisão especial, uma vez que não tem curso superior, a polícia pedirá ao juiz que especifique não só o local, mas para quem deve entregá-lo”, aponta a coluna.

Segundo a publicação, delegados afirmam que a prisão de Lula tem que ser bem articulada para que garanta a segurança do petista e também dos policiais. A partir do momento em que o juiz determinar o cumprimento da pena, a PF já está autorizada a buscá-lo. 

Repercussão internacional

O grande evento da última quarta-feira (25) também teve grande repercussão na mídia internacional. A confirmação da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi tema de praticamente todos os grandes veículos globais, que deram diferentes definições sobre o que representou a decisão. 

PUBLICIDADE

De acordo com o Financial Times, “a decisão do tribunal ameaça os planos do ex-presidente para se destacar nas eleições de outubro, o que seria um dos maiores retornos políticos da América Latina”. A publicação destaca que Lula é “o político mais carismático do Brasil”, tendo “conquistado os pobres do país com políticas sociais quando ele estava no poder entre 2003 e 2010”. Já o jornal francês Le Monde chama Lula de “pai dos pobres” e de “figura mítica da política brasileira” e destaca que a condenação pode ser a “morte política” do ex-presidente petista.

PT reafirma Lula como candidato…

Já em evento que se estendeu desde o final da manhã até à tarde, o PT fez um ato político em que aprovou a pré-candidatura ao Palácio do Planalto. Em discurso, Lula conclamou os militantes a defendê-lo nas ruas e pregou o enfrentamento político.

O ex-presidente disse que manterá as caravanas pelo Brasil, mas conclamou o PT e os movimentos sociais a ajudá-lo no embate nas ruas. “Espero que a candidatura não dependa do Lula. Que vocês sejam capazes de fazê-la, mesmo se acontecer alguma coisa indesejável, e colocar o povo brasileiro em movimento”, disse ele. 

… mas ele terá dificuldades

Porém, com a condenação confirmada e a possibilidade de prisão, o petista pode enfrentar pela primeira vez risco real de entrar numa disputa presidencial sem nenhum outro partido ao lado, segundo apontaram jornais. Originalmente, o PT esperava que Lula chegasse ao período de inscrições no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em condições mais favoráveis – com recursos pendentes no TRF-4 ou abatido por uma sentença menos rígida. Agora, petistas ouvidos pelo jornal apontam que a discussão sobre o caso do tríplex em Guarujá (SP) deve se encerrar em segunda instância muito mais cedo do que previam. 

Isso porque a única esperança de estender o processo e poder viabilizar a sua candidatura eleitoral, a possibilidade de entrada de embargo infringente (permitidos quando há divergência a favor do réu na votação) deixou de existir para Lula com a condenação por unanimidade e mesma aplicação de pena de doze anos e um mês pelo TRF. 

Um dos aliados históricos a se afastar é o PCdoB, que anunciou no final do ano passado a pré-candidatura da deputada Manuela d’Ávila. Já Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), estuda convite do PSOL para também disputar a eleição presidencial. Lula pode até tentar manter a sua candidatura, mas a avaliação de analistas políticos é que o cenário se complica muito após a decisão de ontem (veja mais clicando aqui). 

PUBLICIDADE