Credores privados esperam acordo com a Grécia nesta semana

Premiê Lucas Papademos conseguiu apoio dos líderes de partidos no país, mas pode não conseguir cortes no setor privado

SÃO PAULO – As autoridades gregas continuam as conversações com o IIF (Instituto Internacional de Finanças, na sigla em inglês) desde o último sábado (28), e os credores privados acreditam que um acordo poderá ser fechado sobre a reestruturação da dívida da Grécia ainda nesta semana.

Em comunicado, Charles Dallara e Jean Lemierre, representantes do comitê negociador para os credores privados, afirmam que progressos estão sendo feitos nas discussões com o premiê Lucas Papademos e o ministro de Finanças Evangelos Venizelos quanto a questões técnicas e legais. “Estamos perto de finalizar o envolvimento do setor privado voluntário”, diz a nota.

Exigências à Grécia
Já as reformas estruturais exigidas pela Troika – grupo formado por FMI (Fundo Monetário Internacional), Comissão Europeia e BCE (Banco Central Europeu) – para a aprovação de um novo pacote de resgate podem não ser alcançadas totalmente pelos gregos. Isso porque Papademos conversou com os líderes dos três principais partidos do país, que rejeitaram as propostas de cortes no salário mínimo e em rendimentos do setor privado.

PUBLICIDADE

George Papanderou, da PASOK, Antonis Samaras, da Nova Democracia, e Giorgos Karatzaferis, da LAOS, concordaram, no entanto, em apoiar o primeiro-ministro em outras medidas que confirmem a consolidação fiscal e a redução do endividamento sobre o PIB (Produto Interno Bruto). “Estamos lutando juntos para assegurar a posição do país na Europa e com o euro”, disse Papademos, citado pelo jornal local Kathimerini.

De acordo com a publicação, Samaras apresentou um estudo no qual tais medidas faria com que a recessão na Grécia se intensificasse ainda mais, em 3,5% da produção de riquezas.