CPMI dos Sanguessugas inclui mais 34 parlamentares na lista de investigados

Com isso, são 91 nomes na lista de investigados por supostamente participar do esquema irregular de compra de ambulâncias

SÃO PAULO – Os membros da CPMI dos Sanguessugas comunicaram nesta terça-feira (25) que foram encontrados indícios apontando a participação de, pelo menos, mais 34 parlamentares no esquema de compra irregular de ambulâncias com dinheiro público. Com isso, sobe para 91 o número de nomes na lista de políticos investigados.

Ao comentar suas perspectivas sobre as investigações, o presidente desta Comissão, deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), acrescentou já deter provas contra mais de 100 congressistas denunciados.

O empresário Luiz Antonio Vedoin, um dos proprietários da Planam, empresa supostamente beneficiada pela compra irregular de ambulâncias, citou em depoimento 105 nomes entre parlamentares e ex-parlamentares que teriam participado do esquema.

Senador Magno Malta sob suspeita

O mais novo acusado de se beneficiar do esquema irregular de compra de ambulâncias é o senador Magno Malta (PL-ES), que, segundo reportagem publicada pelo jornal O Globo, teria utilizado por mais de um ano um carro comprado pela máfia dos sanguessugas.