CPI dos Cartões recusa convocação de Dilma Rousseff a dar explicações

Base governista vence a votação por 7 votos de diferença; Múcio afirma que o fato seria uma tentativa de politizar a comissão

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após cinco horas de sessão, a convocação da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, a prestar esclarecimento à CPI mista dos Cartões Corporativos foi rejeitada por 14 votos a 7. O veto ocorreu devido à maioria de parlamentares da base governista na comissão.

Frente ao fato, o ministro José Múcio Monteiro (Relações Institucionais) declarou que os governistas atuaram para impedir que a ministra fosse convocada para a CPI, justificando que isso seria uma tentativa de desviar o foco das investigações, tornando-as apurações políticas.

Na mesma linha, o deputado Henrique Fontana (PT-RS) classificou a convocação como uma “luta política desqualificada”. E ainda, disse que isso significaria colocá-la sob suspeita inadequadamente.

Sigilo permanece intacto

PUBLICIDADE

Por fim, não houve nenhum requerimento sobre a abertura dos dados sigilosos, que chegou a ser votada. Além disso, com o objetivo de amenizar os conflitos, a senadora Marisa Serrano (Presidente da CPI), postergou a discussão sobre tais requerimentos para a próxima terça-feira (1).