CPI da Manipulação de Apostas ouvirá Leila Pereira, presidente do Palmeiras, no dia 5

Sem apresentar provas, o dono do Botafogo, John Textor, citou uma partida entre Palmeiras e São Paulo, válida pelo Brasileirão de 2023, como um dos jogos suspeitos de manipulação

Equipe InfoMoney

Leila Pereira, presidente do Palmeiras (Foto: Rovena Rosa/Agência  Brasil)
Leila Pereira, presidente do Palmeiras (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Publicidade

A CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas vai ouvir a presidente do Palmeiras, Leila Pereira, em reunião marcada para quarta-feira (5), às 14 horas.

O requerimento do convite foi apresentado pelo presidente da comissão, senador Jorge Kajuru (PSB-GO).

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

De acordo com a requisição, o empresário John Textor, sócio majoritário do Botafogo, tem feito várias denúncias de irregularidades no futebol brasileiro, envolvendo jogadores e árbitros. Uma das acusações se refere “à suposta compra de arbitragens pelo Palmeiras, visando a obter vantagens no Campeonato Brasileiro”.

Sem apresentar provas, o dono do Botafogo citou uma partida entre Palmeiras e São Paulo, válida pelo Brasileirão de 2023, como um dos jogos suspeitos de manipulação. Na ocasião, o Palmeiras goleou o rival por 5 a 0. 

O próprio Textor já foi ouvido pelos parlamentares da CPI, assim como o presidente do São Paulo, Júlio Casares. 

Continua depois da publicidade

No ano passado, o Palmeiras conquistou o Campeonato Brasileiro pelo segundo ano consecutivo. A equipe terminou a competição com 70 pontos após 38 rodadas, dois a mais do que o vice-campeão Grêmio (68). O Botafogo foi o quinto colocado, com 64 pontos.

Kajuru argumenta que, diante das acusações, é fundamental que Leila Pereira preste esclarecimentos à CPI. O senador aponta que a integridade do esporte e a confiança dos torcedores podem estar comprometidas, e “é crucial investigar todas as possíveis violações para garantir a transparência e lisura no cenário esportivo nacional”.

A CPI das Apostas Esportivas foi instalada com o objetivo de investigar fatos relacionados às denúncias e suspeitas de manipulação de resultados no futebol brasileiro, envolvendo jogadores, dirigentes e empresas de apostas.

Continua depois da publicidade

A comissão é composta por 11 senadores titulares e 7 suplentes, com previsão de durar 180 dias. O senador Romário (PL-RJ) é o relator e o senador Eduardo Girão (Novo-CE) é o vice-presidente.

(Com Agência Senado)