Pandemia

Covid-19: governo anuncia envio de 600 mil testes rápidos ao Maranhão

Medida visa impedir novos casos da variante indiana no país

Fonte: Geraldo Magela/Agência Senado

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, concedeu na tarde deste sábado (22) entrevista coletiva, em Brasília, para anunciar a liberação de 600 mil testes rápidos para identificar possíveis casos da variante indiana de covid-19 na cidade de São Luís. A capital maranhense registrou um caso de uma pessoa infectada com a variante nesta semana. A medida ocorre para evitar a propagação da variante pelo país.

Embora tenha sido registrado um caso da variante indiana no Brasil, de um passageiro de um navio que vinha da Índia e desembarcou no Maranhão, conforme o ministro não há indícios da transmissão comunitária da nova variante no país. O paciente foi entubado e encontra-se em estado grave e hospitalizado no Maranhão. A transmissão comunitária é uma modalidade de circulação na qual as autoridades de saúde não conseguem mais rastrear o primeiro paciente que originou as cadeias de infecção, ou quando esta já envolve mais de cinco gerações de pessoas.

“Nosso receio é que esse tipo de variante passe a ter uma transmissão comunitária, ” disse o ministro, que afirmou que está monitorando a situação do paciente e de toda a equipe que atua no caso.

“O Ministério da Saúde, no intuito de aumentar o controle e a eficiência dessas medidas de bloqueio, vai encaminhar 600 mil unidades de testes rápidos para o estado do Maranhão para que se faça um bloqueio de pacientes, de passageiros nos aeroportos e nas fronteiras do estado”, destacou.

Para efetuar a vigilância genômica, que é uma pesquisa genética capaz de verificar qual a variante do vírus, outros 2,4 milhões de testes serão distribuídos por aeroportos de todo o país e para regiões de fronteira para monitorar possíveis casos da nova variante de covid-19.

Conforme o ministro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também irá auxiliar na vigilância nos aeroportos do país.

Gripe
O ministro da Saúde afirmou, também, que é preciso reforçar a vigilância em saúde no país, em especial, a vacinação contra a gripe, principalmente por causa da proximidade com o inverno. Conforme Queiroga, a imunização contra essa doença está em níveis abaixo do esperado.

“Estamos em uma época em que o inverno começa aqui no Brasil. Com essa estação há a possibilidade de outras doenças respiratórias, causadas por outros vírus, e nós temos a campanha da gripe [e é preciso] reiterar a necessidade daquelas pessoas que estão ali naqueles grupos de risco procurarem as unidades básicas de saúde para receber a vacina da gripe. A adesão tem sido baixa”, disse Queiroga.

Insumos
Desembarcaram no país, às 17h54 deste sábado, no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, insumos suficientes para a produção de 12 milhões de doses de vacinas da AstraZeneca pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O carregamento inclui Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) que estava previsto para desembarcar no país apenas no dia 29, mas teve a entrada no Brasil antecipada em uma semana.

PUBLICIDADE