Governo

Corte nos salários de Dilma e Temer – anunciado há 4 meses – ainda não aconteceu

Até o momento a promessa ainda não foi cumprida e a presidente, o vice Michel Temer e os 31 ministros continuam recebendo um salário de R$ 30.934,70

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em 2 de outubro, durante a mais recente reforma ministerial, a presidente Dilma Rousseff anunciou que reduziria o seu próprio salário, o do vice Michel Temer e o de todos os ministros em 10%. Porém, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, até o momento a promessa ainda não foi cumprida e a presidente, o vice Michel Temer e os 31 ministros continuam recebendo um salário de R$ 30.934,70.

De acordo com a publicação, os motivos para o atraso vão desde a falta de empenho do governo em aprovar a medida até os longos trâmites que as propostas precisam atravessar no Legislativo. Na primeira instância pela qual precisava passar, a Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, o parecer por sua aprovação só foi apresentado pela relatora Simone Morgado (PMDB-PA) em 16 de novembro e aprovado no colegiado apenas no dia 9 de dezembro.

Porém, ainda era preciso passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde a proposta chegou em 15 de dezembro, uma semana antes do Congresso entrar em recesso. Com isso, o relator da CCJ só foi designado no dia 29 de janeiro. Mas de acordo com o jornal, o escolhido, Décio Lima (PT-SC), não sabia da indicação.

Aprenda a investir na bolsa

Para o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), a culpa não é do governo. “Não é culpa do governo. É mais uma das matérias que ficam na gaveta da Câmara”, disse. Por outro lado, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rebateu: “Quando o governo quer votar, articula, pede urgência. Se não, é porque não é urgente”.

Leia também:

InfoMoney atualiza Carteira para fevereiro; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa