Lava Jato

Correção: Ministro do STF não autoriza investigação contra Mercadante e Aloysio Nunes

O pedido foi feito com base na delação premiada de Ricardo Pessoa, da construtora UTC, que afirmou que fez repasses para as campanhas eleitorais de Mercadante e de Aloysio Nunes, e também para a campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff, que tinha Edinho Silva como tesoureiro

Aprenda a investir na bolsa

Atualizada no dia 11 de setembro

SÃO PAULO – Ao contrário do que foi informado no último dia 6 pelo InfoMoney, o STF (Supremo Tribunal Federal) não abriu inquérito para investigar o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) e o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) por suposta relação com os crimes investigados na Operação Lava Jato.

Responsável pela Operação Lava Jato, o ministro Teori Zavascki autorizou inquérito somente contra o ministro da Comunicação Social Edinho Silva. 

Aprenda a investir na bolsa

O pedido foi feito com base na delação premiada de Ricardo Pessoa, da construtora UTC, que afirmou que fez repasses para as campanhas eleitorais de Mercadante e de Aloysio Nunes, e também para a campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff, que tinha Edinho Silva como tesoureiro. Pessoa afirmou que doou R$ 7,5 milhões à campanha de Dilma por temer prejuízos em contratos com a Petrobras e a contribuição foi acordada diretamente com Edinho. 

Nos casos de Mercadante e Aloysio Nunes, Teori aceitou sugestão da Procuradoria para que os casos fossem redistribuídos, conforme foi informado na quarta-feira. Isso porque, segundo o órgão, os materiais contra ambos não têm relação aparente com corrupção na Petrobras. Os pedidos não têm relação com a Lava Jato, mas sim com um possível crime eleitoral. 

Anteriormente, os documentos haviam sido enviados ao ministro Teori Zavascki, que devolveu o processo para redistribuição, já que os fatos apontados pelo Ministério Público não tinham relação com aqueles apurados em inquéritos da Operação Lava Jato. Na verdade, ao contrário do que foi divulgado no fim de semana, o STF não determinou abertura de inquérito para investigar Mercadante e Aloysio Nunes.