Copom reduz ritmo e corta Selic em 25 pontos-base, para 13,00% ao ano

Colegiado do BC promove décima terceira redução seguida no juro e confirma expectativa de "maior parcimônia"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Copom (Comitê de Política Monetária) reduziu o ritmo de afrouxamento monetário e cortou a taxa Selic em 0,25 ponto percentual na noite desta quarta-feira, para 13,00% ao ano.

A decisão do comitê confirma a expectativa predominante no mercado, conforme evidenciado pela mediana das projeções do relatório Focus de segunda-feira. Esta foi a décima terceira redução consecutiva do juro, totalizando um recuo de 6,75 pontos-percentuais.

Pé no freio

A crença de que o Copom optaria por um corte menor no juro se apoiava, fundamentalmente, em indicações de membros da própria instituição. Isso porque, na ata de suas últimas reuniões, o comitê salientou que suas próximas decisões seriam conduzidas com maior parcimônia.

Além disso, no encontro anterior, três diretores da entidade já haviam votado em prol de uma redução de apenas 25 pontos-base na Selic. E o Copom vem sistematicamente lembrando dos estímulos já concedidos à expansão da demanda agregada.

Em complemento, deve-se ter em mente ainda a maior proximidade do atual nível da Selic com o juro básico de equilíbrio e as incertezas que cercam a defasagem dos mecanismos de transmissão da política monetária.

Inflação corrente é benigna

O espaço para continuidade no ciclo de afrouxamento do torniquete monetário pauta-se, sobretudo, na inflação corrente benigna e nas perspectivas de inflação controladas.

Apesar de alguns índices de preços terem subido acima do esperado no início do ano, a interpretação é de que o comportamento da inflação ainda é favorável e a meta de variação de 4,5% do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor – Amplo) no ano deve ser cumprida.

Corroborando esta perspectiva, a mediana das projeções do relatório Focus aponta para uma inflação oficial de 4,07% em 2007, abaixo do centro da meta.