Análise

Copa representa maior risco para reeleição de Dilma, diz Tendências

Independente de que equipe se consagrar campeã do Mundial, a presidente e seus principais oponentes enfrentarão desafios relacionados ao evento.

SÃO PAULO – A Copa do Mundo representa maior risco para a reeleição da presidente Dilma Rousseff independente de qual seleção levantar a taça no maior evento de futebol do globo, disse Rafael Cortez, analista político da Tendências Consultoria Integrada. Para ele, o Mundial também deverá ser considerado um desafio para seus principais oponentes, Aécio Neves e Eduardo Campos. 

Os índices de aprovação da petista podem ser afetados pelos protestos e pelas greves relacionadas ao evento. “A Copa afeta o processo eleitoral, independentemente do time que for campeão”, explicou Cortez. “O evento desencadeou uma série de protestos, que deixou mais evidente a insatisfação popular com os políticos e a corrupção. Para um governo que tenta se reeleger, as manifestações são negativas”, acrescentou.

A Copa não deve ser uma pedra no sapato apenas de Dilma. O evento também representa um desafio para Aécio e Campos, mesmo sendo menos conhecidos que a presidente e tendo menos exposição pública que ela. 

PUBLICIDADE

Mesmo com a oposição crescendo nas pesquisas de intenção de voto, Dilma ainda aparece com 55% de chances de vencer a corrida eleitoral, destacou o especialista da Tendências. “A eleição de outubro deste ano será a mais competitiva desde 1989”, concluiu Cortez.