Copa fará um em três paulistanos consumir, mas eles não querem se endividar

Pesquisa revelou ainda que 28% se sentiriam estimulados a comprar em função das possíveis vitórias do Brasil

SÃO PAULO – Um em cada três paulistanos vai adquirir um produto devido à Copa do Mundo, mas quase a totalidade deles não pretende contrair um empréstimo ou financiamento por conta disso, revelou pesquisa divulgada nesta quinta-feira (20) pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo).

De acordo com os dados, 31% dos paulistanos disseram que vão comprar algo para torcer durante o mundial de futebol que acontecerá na África do Sul, sendo que os produtos mais procurados por eles serão a camisa da seleção (70%), artigos típicos da Copa (13%) e TVs de alta definição – LCD, LED e Plasma – (11%).

O economista da Fecomercio, Fabio Pina, afirmou que a questão do preço influencia nesse resultado. “Não há renda para tudo isso”, ressaltou.

PUBLICIDADE

Forma de comprar
O grande beneficiário na Copa de 2010, de acordo com a pesquisa, será o comércio de rua, apontado como o preferido de 69% dos paulistanos para adquirir itens do Mundial, seguido pelos shoppings, com 24% de respostas, pelos camelôs, com 4% de indicação, e pelo comércio eletrônico, com 3%.

Outro dado importante é que 96% dos paulistanos não pretendem contrair financiamento ou empréstimo, o que vai ao encontro da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, que apontou redução de 1,2 ponto percentual da intenção de endividamento em maio, na comparação com abril.

Uma proporção de 28% dos entrevistados afirmou que se sentiria estimulada a comprar em função das possíveis vitórias do Brasil, ante 70% que não pretendem comprar nada, independentemente do desempenho da seleção brasileira.

Copa x eleições
A pesquisa ainda abordou o que é mais importante aos paulistanos: a Copa do Mundo ou as eleições presidenciais. Em uma escala de zero a dez, eles deram nota 6,5 em média para o evento mundial e sete em média para a próxima eleição.

“A pequena diferença não diz muito, porém era de se esperar que a Copa do Mundo tivesse elevada média de importância pela sua proximidade”, afirmou Pina. “O resultado de uma Copa do Mundo não vai mudar o futuro do nosso País, porém a eleição para o próximo presidente, sim. Esse resultado nos dá um conforto de que o paulistano está preocupado e atento aos candidatos”.

A Pesquisa Direta Fecomercio foi realizada com 1091 pessoas em 6 regiões da cidade de São Paulo (norte, sul, leste, oeste e duas no centro) no dia 11 de maio de 2010.