Contratando mais temporários, Japão paga menos horas extras

A média de horas pagas em julho caiu 0,2%, na comparação com o ano anterior, ficando em 19.315 ienes, cerca de US$ 166

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O pagamento de horas extras caiu pela primeira vez em cinco anos no Japão. É o que mostra o relatório mensal divulgado pelo Ministério da Saúde, do Trabalho e Bem-Estar, realizado com 33 mil empresas com mais de cinco pessoas.

A média de horas pagas em julho caiu 0,2%, na comparação com o ano anterior, ficando em 19.315 ienes, aproximadamente US$ 166.

Conseqüentemente, a média de horas extras trabalhadas também diminuiu, registrando queda de 0,1%, passando para 10,8 horas, pela primeira vez em dois anos e quatro meses.

Temporários

Aprenda a investir na bolsa

Segundo as estatísticas de julho, o número de trabalhadores temporários cresceu 4% em comparação a 0,8% das contratações de funcionários fixos.

Isso mostra que a queda no pagamento de horas extras se deve ao fato de as empresas estarem preferindo contratar temporários para dar conta do trabalho, em vez de aumentar as horas dos trabalhadores fixos.

O relatório mostrou ainda que a média salarial encolheu (1,9%) pelo oitavo mês seguido, chegando a 386.446 ienes, cerca de US$ 3.335.