Conselho de Ética adia votação do segundo processo contra Renan Calheiros

Presidente do Senado negou que teve influência na decisão do PMDB de rejeitar medida provisória do governo

SÃO PAULO – O Conselho de Ética do Senado adiou para a próxima terça-feira (2) a análise do segundo processo por quebra de decoro parlamentar contra o senador Renan Calheiros, após negociação entre a base governista e a oposição.

O senador João Pedro, relator da segunda representação contra o presidente da Casa, confirmou que vai apresentar um pedido de suspensão temporária das investigações sobre o caso.

Esta investigação corre paralelamente ao Conselho de Ética da Câmara, pois envolve o irmão de Renan, deputado Olavo Calheiros. Ele teria vendido uma fábrica superfaturada para a cervejaria. Em troca, a Schincariol teria sido favorecida por Renan junto à Previdência.

Rejeição da MP

PUBLICIDADE

O presidente do Senado negou nesta quinta-feira (27) que teve influência sobre a decisão dos doze senadores do PMDB de votar contra a medida provisória que criava a Secretaria Especial de Projetos de Longo Prazo.

Renan ressaltou que ele e outros senadores como José Sarney foram informados de última hora da decisão do partido. “Essa questão do PMDB de ontem não tem nenhuma conexão com a minha questão”, afirmou o senador.

Na noite da última quarta-feira, a bancada do PMDB votou contra a aprovação da medida provisória que criou a Secretaria. A rejeição obriga o Governo a extinguir o órgão, além de exonerar 626 funcionários contratados pela MP.