Após pesquisa

Confira as mais diversas reações dos comitês de Dilma, Marina e Aécio ao Ibope

Alívio no PSDB, cautela no PT e percepção de resiliência no PSB após pesquisa que mostrou menor força de Dilma, manutenção de Marina e leve recuperação de Aécio

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A pesquisa Ibope foi divulgada na noite da última terça-feira, mostrando um empate técnico no segundo turno entre as candidatas Marina Silva (PSB) e Dilma Rousseff (PT) por 43% a 40%, enquanto a petista segue à frente no primeiro turno, mas com queda de três pontos, para 36%. Marina recuou um ponto, de 31% para 30%, enquanto Aécio se recuperou quatro pontos, passando de 15% para 19% das intenções de voto.

De acordo com informações do blog de Gerson Camarotti, do G1, a campanha do tucano recebeu com alívio o resultado da pesquisa. Os aliados mais próximos avaliam que a avaliação na pesquisa pode ajudar Aécio a combater a pressão interna de que ele tenha que interromper os ataques à Marina. Ele precisa manter esta estratégia de bater tanto em Dilma quanto em Marina para continuar sendo um ator político influente na eleição.

A pesquisa foi recebida com cautela no comitê de Dilma Rousseff, aponta Camarotti, com o PT devendo olhar para as próximas pesquisas para saber se há uma tendência de queda da candidata a presidência e também observa se os ataques diretos à Marina teriam influenciado em uma variação negativa na pesquisa.

Aprenda a investir na bolsa

A campanha de Marina Silva, por sua vez, avaliou que Marina tem conseguido resistir aos ataques de Dilma e Aécio. “A ordem agora é tentar trazer uma estratégia mais emocional para esta reta final de campanha para neutralizar a campanha de desconstrução dos adversários”.