Condomínios: começo de ano é época de realizar assembleia

O momento é propício para discutir despesas, cortes e aprovação de gastos e eleger um novo síndico ou reeleger o atual

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Nos três primeiros meses do ano, é comum a realização de Assembléia Geral Ordinária, que é convocada pelo síndico ou por um quarto dos condôminos, como determina a maioria das Convenções de Condomínio.

Esse é o momento de os moradores discutirem despesas atuais e futuras, cortes e aprovação de gastos. Geralmente, nessas reuniões, também se elege um novo síndico ou se reelege o atual.

“É preciso realizar essa assembleia uma vez por ano e as extraordinárias quantas forem necessárias”, afirmou o diretor de Condomínios do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), Sergio Meira de Castro.

Aprenda a investir na bolsa

Nas reuniões também podem ser analisados itens como mão-de-obra, encargos, impostos e taxas, contas de consumo, contratos de conservação e manutenção, seguros obrigatórios, despesas de expediente, materiais diversos, honorários de administradora e fundo de reserva, entre outros.

Síndico
De acordo com levantamento da Lello Condomínios, metade dos prédios da cidade de São Paulo elegem os síndicos entre os meses de janeiro e abril.

Cerca de 70% das assembleias realizadas para eleição reelegem o antigo síndico. Contudo, há 10 anos, a reeleição acontecia em mais de 90% dos condomínios.

“Candidatos ao cargo de síndico precisam ter consciência da enorme responsabilidade que a função exige. Administrar um condomínio é como gerenciar uma empresa, com inúmeras obrigações contábeis, trabalhistas, fiscais e previdenciárias”, explicou a gerente de Marketing da Lello Condomínios, Angélica Arbex.

O síndico pode ser proprietário, inquilino ou alguém de fora do prédio, de acordo com a decisão dos condomínios. Ele deve zelar pelo cumprimento da convenção e do regimento interno, cuidar da conservação e da manutenção de áreas comuns e equipamentos, negociar com fornecedores e prestar contas aos condôminos sobre despesas efetuadas, entre outras responsabilidades.