Comunidade internacional deve unir esforços para reconstruir Haiti, diz Amorim

Plano de ajuda brasileiro tem foco em segurança e atendimento a feridos; a princípio, a ação não contará com ajuda da ONU

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Celso Amorim, ministro das Relações Exteriores do Brasil, afirmou que a comunidade internacional deve unir esforços para reconstruir o Haiti. Segundo o embaixador, países doadores deveriam reunir-se nas próximas semanas como forma de garantir apoio financeiro.

O ministro também cobrou maior atuação da missão da ONU (Organização das Nações Unidas), na tentativa de garantir a ordem no país. “Temos que facilitar os trabalhos que vão além daquilo que é pura e simplesmente a manutenção da ordem no sentido tradicional”, afirmou.

Plano de ação
O ministro da Defesa, Nelson Jobim, que já está no Haiti, disse que o plano de ajuda traçado por autoridades brasileiras não contará com ajuda da ONU, pelo menos a princípio. “Não podemos esperar; se há problemas, temos de passar por cima dos problemas”, declarou.

PUBLICIDADE

Em nota, Jobim ainda disse que haitianos associam a missão de paz da entidade mais aos brasileiros do que à ONU e que o desabamento do prédio da instituição na capital, Porto Príncipe, pode atrasar a resposta da organização.

O ministério também classificou os cinco principais problemas do Haiti, nos quais a ação estará focada: segurança, sepultamento dos mortos, atendimento aos feridos, remoção dos destroços e distribuição de suprimentos.