Segundas intenções...

Como o Planalto viu o “agrado” de Lula a Michel Temer em entrevista à Folha

Mais do que agradar Temer, petista quis desgastar a Operação Lava Jato, diz a coluna Painel, do mesmo jornal

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A entrevista do ex-presidente Lula ao jornal Folha de S. Paulo na véspera trouxe algumas declarações curiosas. Uma das principais foi a afirmação do petista de que é “importante ter em conta que o Temer teve uma vitória quando derrubou o golpe que a TV Globo, o [ex-procurador-geral Rodrigo] Janot e o [empresário] Joesley [Batista] tentaram dar nele”.

O petista reforçou a ideia ao falar que “aquele golpe tinha como pressuposto básico o Temer cair, o Rodrigo Maia [presidente da Câmara dos Deputados] assumir a presidência e o Janot ter um terceiro mandato [na PGR]”. Ele foi além e disse que Temer “teve a coragem de desmascarar o Janot, o Joesley e ficou presidente”.

Para os principais apoiadores de Temer, as falas de Lula tiveram a intenção, mais do que “aliviar para o presidente”, desgastar a Lava Jato ao afirmar que o presidente foi vítima de “um golpe”, informa a coluna Painel, do mesmo jornal. O petista vê na polêmica colaboração dos Batista a “falha mais evidente” já cometida pela Lava Jato. 

Aprenda a investir na bolsa

Contudo, as falas do petista foram criticadas em editorial da Folha de S. Paulo, que afirmam que Lula faz “tamanha ginástica” que implica em “atribuir as revelações sobre a conduta do presidente Michel Temer a uma tentativa de golpe, como a que em sua visão atingiu Dilma Rousseff”. E finaliza: “nesse vaivém vertiginoso ele prossegue, esperando que a realidade política predomine sobre a realidade dos fatos —e que a esperteza triunfe sobre a lei. É popular, mas ilude cada vez menos.”

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear