Como alternativa, Brics poderá montar banco de investimentos próprio

Objetivo é custear projetos de infraestrutura e de economia sustentável; moedas locais serão utilizadas em negociações internas

SÃO PAULO – O grupo de países que formam o BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) fará estudos para organizar e montar um banco de desenvolvimento específico para região com o objetivo de custear projetos de infraestrutura e de economia sustentável em países emergentes, segundo a declaração da cúpula nesta quinta-feira (29).

Deste modo, a nova instituição seria uma espécie de alternativa ao Banco Mundial e ao FMI (Fundo Monetário Internacional). Entre os acordos firmados no 4º encontro da cúpula realizado em Nova Delhi, na Índia, será possível fazer pactos econômicos usando moedas locais e facilitar o reconhecimento dos títulos de crédito, para reduzir o custo das transações. Essa iniciativa foi elogiada pela presidente da República, Dilma Roussef.

Dilma também disse que vê a criação do banco com um indício positivo e mostra que é possível que os BRICS consigam crescer economicamente, resultando em distribuição de renda e geração de empregos.