Dia D para o petista

Comentário de Lula sobre mercado foi bastante perigoso, diz estrategista

Ontem, na véspera de seu julgamento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva elevou o tom de enfrentamento e disse que não precisa do mercado

SÃO PAULO – Na noite da última terça-feira (23), véspera do julgamento de  seu julgamento pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva elevou o tom de enfrentamento e criticou o mercado, a imprensa, os adversários e o governo do presidente Michel Temer em evento em Porto Alegre (RS). 

 Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

“Ah, o mercado tem medo de Lula”, disse o ex-presidente, ao reproduzir uma impressão que seria disseminada contra sua candidatura. “Não sei se é mercado ou um bando de yuppies, meninos. Não preciso do mercado, preciso de empresas produtivas, preciso de agricultura produtiva e a agricultura familiar, responsável por 70% do alimento na mesa do povo brasileiro. Preciso que o povo participe para que a gente possa recuperar esse país”, afirmou.

PUBLICIDADE

E, de acordo com nota de Simon Quijano-Evans, estrategista-chefe para mercados emergentes da  Legal & General Investment Management, a fala de Lula de dizer que “não precisa do mercado” é um sinal de alerta. 

“Dada a experiência de 2002, ele sabe muito bem que isso não é verdade. O fato é que foi um comentário bastante perigoso, uma vez que os mercados financeiros podem ser vistos como uma das principais restrições exógenas à corrupção e à ’falsa política’”, aponta Quijano-Evans.

De qualquer forma, as atenções se voltam agora para o TRF-4, que iniciará a partir das 8h30 o julgamento do recurso de Lula. Três desembargadores votarão na sessão de julgamento e, dependendo do placar, o trâmite para a condenação definitiva do ex-presidente, o que impediria a sua participação nas eleições presidenciais, pode ser mais rápido ou mais lento. Assim, mesmo com uma condenação nesta quarta, o mercado seguirá de olho nos próximos passos judiciais sobre a condenação do petista. 

Acompanhe o julgamento ao vivo:

 

PUBLICIDADE

 (Com Bloomberg)