"Intervenção militar"

Comandante do Exército emite nota de esclarecimento sobre polêmica com general Mourão; veja a íntegra

General Villas Bôas ressalta compromisso do Exército com a consolidação da democracia e fala em "providências" adotadas "para assegurar a coesão, a hierarquia e a disciplina", sem dar detalhes

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em meio à polêmica envolvendo as declarações do general Antonio Hamilton Martins Mourão, secretário de economia e finanças do Exército, sugerindo a possibilidade de intervenção militar no país, o comandante da Força, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, assinou nota de esclarecimento informando ter apresentado as circunstâncias do fato e providências tomadas ao ministro da Defesa, Raul Jungmann. O posicionamento ocorre após a autoridade responsável por expressar o posicionamento institucional do Exército dizer que não haverá punição a Mourão.

Em uma palestra realizada na última sexta-feira (15), em uma loja maçônica de Brasília, o secretário de economia e finanças da Força disse que os militares poderão ter que “impor” uma intervenção e que isso “não será fácil”. Segundo ele, seus “companheiros” do Alto Comando do Exército avaliam que ainda não é o momento para a ação, mas ela poderá ocorrer. “Até chegar o momento em que ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso”, disse na ocasião.

Entrevistado pelo programa “Conversa com Bial”, da TV Globo, na madrugada de quarta-feira (20), o general Villas Bôas, ao ser questionado se Mourão não teria quebrado a hierarquia militar, disse que entre as atribuições das Forças Armadas está aplicar a lei e a ordem para a defesa da pátria e das instituições, o que só poderia ocorrer por requisição de um dos poderes ou na iminência de um caos. “Quando ele fala de aproximações sucessivas, ele fala também das eleições que se aproximam [em 2018]. É preciso ver o ambiente em que ele estava. Ele não fala pelo alto comando”, respondeu o general.

PUBLICIDADE

Na nota, Villas Bôas ressalta o que chama de compromisso do Exército Brasileiro com a consolidação da democracia brasileira, menciona explicações dadas ao ministro da Defesa, Raul Jungmann, e fala em “providências” adotadas “para assegurar a coesão, a hierarquia e a disciplina”, sem citar quais seriam elas.

Confira a nota na íntegra:

“Nota de Esclarecimento

Com relação ao episódio veiculado em mídia que envolveu o General de Exército Antônio Hamilton Martins Mourão, o Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, informa:

1. O Exército Brasileiro é uma instituição comprometida com a consolidação da democracia em nosso País.

2. O Comandante do Exército é a autoridade responsável por expressar o posicionamento institucional da Força e tem se manifestado publicamente sobre os temas que considera relevantes.

3. Em reunião ocorrida no dia de ontem, o Comandante do Exército apresentou ao Sr. Ministro da Defesa, Raul Jungmann, as circunstâncias do fato e as providências adotadas em relação ao episódio envolvendo o General Mourão, para assegurar a coesão, a hierarquia e a disciplina.

4. O Comandante do Exército reafirma o compromisso da Instituição de servir à Nação Brasileira, com os olhos voltados para o futuro.

Atenciosamente,

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO
EXÉRCITO BRASILEIRO
BRAÇO FORTE – MÃO AMIGA”