Brigas políticas

“Com o governo de Eduardo Cunha eu já rompi, vou aguardar o próximo”, diz Renan

 "O PMDB vai ter de patrocinar as reformas vindas do Planalto sem discutir? [...] É uma questão política, não é pessoal", disse

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros declarou voltou a fazer comentários polêmicos em meio a um cenário em que se afasta do presidente Michel Temer e começa a se aproximar de Luiz Inácio Lula da Silva. E na noite desta terça-feira (4) ele afirmou que, se continuar como está, “o governo vai cair para um lado e o PMDB para o outro”.

Em conversa com jornalistas, o peemedebista disse que “o governo é temporário”, diferentemente da legenda, “que já prestou relevantes serviços para o País e vai continuar prestando”. “Com o governo do deputado cassado Eduardo Cunha eu já rompi, vou aguardar o próximo”, ironizou.

Em sua fala, ele aproveitou para, mais uma vez, criticar as medidas econômicas do atual governo. “O PMDB vai ter de patrocinar as reformas vindas do Planalto sem discutir? […] É uma questão política, não é pessoal”, disse. Apesar de ter subido o tom contra o governo nas últimas semanas, Renan disse que a temperatura está “normal”.

Aprenda a investir na bolsa

Nesta noite, Renan organiza um jantar na casa da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) com a bancada do PMDB em busca de apoio no embate que trava com o Palácio do Planalto contra a condução das reformas econômicas. Segundo o peemedebista, o objetivo será “construir convergências” com os parlamentares. “A senadora Kátia costuma servir aratu. Vai ser maravilhoso”, disse o líder da bancada sobre o encontro.