Prisão de Lula

Com Lula preso, PT teme “acefalia” e deflagração de inédita guerra interna

O "bate-cabeça" no sábado que quase impediu que Lula se entregasse mostra que há motivos para antever o pior, diz a coluna Painel, da Folha

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os dias após a prisão do ex-presidente Lula geram temor na cúpula do PT, segundo informa a coluna Painel, da Folha de S. Paulo. Os dirigentes reconhecem que, com Lula fora de cena, há um risco do partido ficar “acéfalo” e temem que, com a ausência de seu principal líder, a legenda mergulhe em uma guerra interna inédita.

De acordo com o jornal, o “bate-cabeça” no sábado que quase impediu que Lula se entregasse mostra que há motivos para antever o pior. Informações que circularam na imprensa e atribuíram a mobilização da militância que tentou impedir a saída de Lula do sindicato a uma orientação dos petistas irritaram a direção da PF, fazendo com que ela elevasse o tom e impusesse uma trava às negociações.

Com isso, por volta das 18h, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), pediu à multidão que liberasse a saída do ex-presidente. “Eu, mais do que ninguém aqui, queria que o Lula ficasse livre. Agora, não depende da nossa vontade”, disse ela ao microfone. Segundo a senadora, a Polícia Federal deu prazo de meia hora para que o ex-presidente deixe o local. Ao microfone, ela disse que a decisão seria tomada de forma conjunta, mas que o fato de Lula não se apresentar aos policiais pode resultar em consequências jurídicas para Lula, como a prisão preventiva, que impediria Lula de conseguir um habeas corpus. 

Aprenda a investir na bolsa

Aliados de Lula chegaram a sugerir que Lula se entregasse de madrugada, em ambiente mais ameno, mas a polícia não aceitou. Emparedado pela PF, o PT decidiu então que o petista sairia a pé.

Quer driblar o risco político e ganhar dinheiro com segurança nessas eleições? Clique aqui e abra sua conta na Clear

(Com Agência Brasil)