Com eleições em 2010, pré-sal tem importância política para o governo, diz LCA

Discurso de que o governo retoma perfil estatizante e intervencionista deve integrar as manifestações oposicionistas

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O anúncio dos Projetos de Lei do governo para exploração do petróleo nas regiões do pré-sal tem importância simbólica e política. Segundo os analistas da LCA Consultoria, o tema deve trazer boa impressão junto à opinião pública, sobretudo porque estão revestidos de projeções de geração de recursos econômicos para o país e porque prevêem a criação de um fundo de investimentos de combate à pobreza, inovação tecnológica, cultura e meio ambiente.

Apesar disso, em relatório divulgado nesta terça-feira (1), a LCA ressalta que o novo marco regulatório do setor representa também “um tipo de início do campeonato a ser decidido em outubro de 2010, na eleição presidencial. E, nesta acepção, o pré-sal dá ao governo poder de pautar o debate na imprensa, na sociedade e no Congresso – que já se manifestam, desde já, em relação aos projetos do governo”.

Os analistas destacaram que a capitalização da Petrobras pelo governo tomará a pauta parlamentar pelo menos até o início de 2010, na hipótese de o regime de urgência não ser revogado. Além disso, eles destacam que o discurso de que o governo retoma perfil estatizante e intervencionista deve integrar as manifestações oposicionistas daqui por diante.

CPI?

PUBLICIDADE

“Nada de CPI da Petrobras, nem de inquéritos no Senado (já descartados na Casa e no Supremo), nem de temas inoportunos, nem de iniciativas constrangedoras da oposição – este é o cenário parlamentar que o governo vislumbra e parece poder instalar desde já. Tem maioria tranqüila na Câmara e maioria apertada no Senado para ditar o ritmo e o conteúdo das votações dos Projetos – e o apoio dos governadores dos estados produtores (ES, RJ e SP), obtido com a manutenção das regras de distribuição de royalties”, concluiu a LCA.