Impopularidade

Com desaprovação 9 pontos maior, Temer empata com Cunha

Segundo levantamento feito pelo instituto Ipsos, juiz Sergio Moro é a figura pública com maior taxa de aprovação no país

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A desaprovação ao presidente Michel Temer chegou ao maior patamar já registrado, ao aumentar nove pontos no intervalo de um mês. Conforme pontua levantamento da Ipsos feito em abril, a rejeição à figura do peemedebista agora é de 87%, ao passo que a aprovação caiu de 17% para 10% e 4% não souberam responder.

Com o resultado, a rejeição ao presidente empata tecnicamente com a desaprovação ao ex-deputado Eduardo Cunha, político com os piores índices dentre os nomes levantados pelo instituto. Cunha é desaprovado por 90% dos entrevistados e aprovado por 2%, enquanto 9% não souberam opinar. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para cima ou para baixo.

Confira a popularidade dos principais nomes consultados:

NomeDesaprova totalmente + desaprova um poucoAprova totalmente + aprova um poucoNão sabe/Não conhece suficiente para avaliar
Eduardo Cunha90%2%9%
Michel Temer87%10%4%
Renan Calheiros82%3%16%
Dilma Rousseff77%21%2%
Aécio Neves76%9%15%
José Serra70%18%13%
Fernando Henrique Cardoso70%18%13%
Geraldo Alckmin68%14%18%
Lula64%34%2%
Marina Silva58%24%17%
Joaquim Barbosa30%47%23%
Sérgio Moro25%64%11%

Aprenda a investir na bolsa

Fonte: Ipsos

Outros nomes que também constam da pesquisa:

NomeDesaprova totalmente + desaprova um poucoAprova totalmente + aprova um poucoNão sabe/Não conhece suficiente para avaliar
Rodrigo Maia53%3%45%
Ciro Gomes52%11%38%
Romário51%18%30%
Romero Jucá50%3%47%
Henrique Meirelles50%5%46%
Jair Bolsonaro48%9%43%
Jean Wyllys46%4%49%
Marcelo Crivella46%12%42%
Roberto Justus45%14%42%
Alexandre de Moraes43%6%50%
Gilmar Mendes43%3%53%
Paulo Skaf43%5%51%
Rodrigo Janot43%21%36%
João Doria40%14%45%
Carmen Lúcia34%23%43%

A pesquisa mostrou que a desaprovação total ou parcial ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cresceu de 59% em março para 64% em abril, ao passo que a aprovação total ou parcial recuou de 38% para 34%. No caso da ex-ministra Marina Silva, a desaprovação caiu de 62% para 58%, enquanto a aprovação oscilou de 23% para 24%; 17% não souberam responder.

Do lado dos tucanos, a desaprovação ao senador Aécio Neves oscilou de 74% para 76%, ao passo que a aprovação foi de 11% para 9% e 15% não souberam opinar. No caso do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a desaprovação foi de 67% para 68% e a aprovação, de 16% para 14%; 18% não souberam responder. Já o senador José Serra manteve os 70% de desaprovação e viu sua aprovação variar de 20% para 18%, enquanto 13% não souberam responder.

Os entrevistados também foram consultados sobre o ex-presidente do Supremo Joaquim Barbosa e o juiz federal Sergio Moro. No caso do primeiro, a taxa de aprovação foi de 47% — ante 51% em março –, contra 30% de reprovação — ante 29%. Já o magistrado de Curitiba obteve aprovação de 64% — ante 63% — contra reprovação de 25% — ante 27%, no maior índice de popularidade dentre os nomes apresentados.

A pesquisa ouviu 1.200 pessoas em 72 municípios entre 1º e 12 de abril. Na época, ainda não haviam sido divulgada as delações de ex-executivos da Odebrecht e a lista de políticos com investigação autorizada pelo Supremo Tribunal Federal.

PUBLICIDADE