AO VIVO Por Dentro dos Resultados: Vice-presidente e diretor de RI da Raia Drogasil comentam os números da rede de drogarias

Por Dentro dos Resultados: Vice-presidente e diretor de RI da Raia Drogasil comentam os números da rede de drogarias

Fugindo do assunto?

Com crise hídrica, Alckmin evita novamente falar com a imprensa; governo nega

Na última segunda-feira, Alckmin não concedeu entrevista coletiva após ter anunciado a inserção do Campeonato Prime de Surf no calendário oficial esportivo de São Paulo

SÃO PAULO – O governador de São Paulo Geraldo Alckmin evitou novamente falar com a imprensa em um evento público. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, no final de cerimônia de adesão de novas escolas estaduais ao ensino integral nesta terça-feira (20), o tucano não foi ao local preparado para a entrevista coletiva, como costuma fazer em agendas no Palácio dos Bandeirantes.

O governador fez sinal de que falaria depois ao ser perguntado se concederia entrevista, caminhou em direção ao gabinete, mas não voltou. Na última segunda-feira, Alckmin não concedeu entrevista coletiva após ter anunciado a inserção do Campeonato Prime de Surf no calendário oficial esportivo de São Paulo.

Alckmin evita falar com a imprensa em meio ao agravamento da crise hídrica no estado de São Paulo. De acordo com projeções do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais) revelam que, caso as chuvas na região do Sistema Cantareira continuem 50% abaixo da média e a captação se mantenha nos níveis atuais, esse manancial poderá secar daqui a quatro meses, no início de junho.

PUBLICIDADE

A assessoria do governador enviou ao InfoMoney nota esclarecendo as informações da Folha de S. Paulo, afirmando que Alckmin não está evitando a imprensa. Confira a nota na íntegra:

“O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, concedeu 12 coletivas desde o dia 1 de janeiro, além de entrevistas exclusivas e conversas informais com jornalistas. O governador, portanto, não evita a imprensa – muito provavelmente é o executivo público mais disponível a ela. No entanto, não é possível conciliar sempre com a agenda do governador de São Paulo a necessidades específicas, ainda que legítimas, deste ou daquele repórter”.