Imprensa internacional

Colunista do NYT ignora Trump por uma semana e encontra Brasil “à beira do caos”

"Cansado" do noticiário intenso sobre o presidente americano, colunista achou diversas histórias que não receberam destaque nos EUA - o que inclui noticiário sobre o Brasil

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Trump, Trump, Trump. Desde novembro do ano passado, o presidente dos EUA é destaque na mídia – particularmente na americana. Trump monopoliza o noticiário e, mesmo em meio a atritos com a imprensa (ou talvez esse seja um dos motivos para tanto), o seu nome é o grande destaque dos principais jornais e revistas da maior economia do mundo.

Em meio a essa “overdose” de Trump, o colunista do jornal “The New York Times” Farhad Manjoo resolveu se fazer um desafio: “fugir” durante uma semana do noticiário sobre o presidente americano – e contou no jornal o que aprendeu com isso. Não foi fácil, como ele próprio atesta, mas foi uma experiência que trouxe algumas descobertas.

Durante esse período, Manjoo descobriu algumas “histórias escondidas” da mídia, citando inclusive a matéria da revista New Yorker, que afirma que o Brasil está à beira do caos. A matéria do dia 10 de fevereiro, assinada por Jon Lee Anderson, afirma que as coisas não estão bem no Brasil, citando a onda de violência que atingiu o estado do Espírito Santo neste mês após a greve da polícia militar.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo a New Yorker, mesmo com os policiais trabalhando, o estado de direito é um conceito relativo no Brasil. “O país tem desbalanços econômicos dramáticos e sofre de altas taxas de violência. (…) A taxa de homicídio, de 25 por cem mil, está entre as mais altas do mundo”.

Além disso, nos últimos dois anos, os problemas endêmicos se exarcebaram pela maior depressão econômica desde os anos 1930 que, segundo Anderson, ocorreu em meio ao fim do boom de commodities. O texto cita ainda a situação política do País e critica as políticas de austeridade do governo de Michel Temer, que poderia reverter os programas sociais. “Com seu berço social em ruínas, o Brasil tem todos os ingredientes para mais explosões por vir”, afirma a New Yorker.

Entre outras notícias além do Brasil, estão muitas histórias interessantes, caso da perda de espaço do Estado Islâmico no Iraque e na Síria e o desfazimento de um grande bloco de gelo na Antártida.

Para o colunista do NYT, há motivo para isso. “Há uma razão pela qual você não está vendo essas histórias espalhadas pelo noticiário. Ao contrário da velha escola do jornalismo, a mídia de hoje funciona de acordo com laços de realimentação social. Toda história que mostra qualquer sinal de vida no Facebook ou Twitter é copiada sem parar por todos os veículos, tornando-se incontornável”.

Assim, com Trump aparecendo como uma garantia de audiência, ele está em 90% dos feeds do Twitter e do Facebook do colunista. “Mas ele não é 90% do que é importante no mundo”, diz ele. De acordo com Manjoo, Trump não é tudo e seria bom encontrar uma maneira para o ecossistema da mídia americana reconhecer isso – e dar destaque a mais notícias que não sejam só sobre o presidente americano.