Pesquisa

CNT/MDA: se 2º turno da eleição fosse hoje, 55,7% votariam em Aécio e 16,6% em Dilma

Enquanto isso, 22,3% votariam em branco ou nulo, mostra a pesquisa; 41,6% dos entrevistados afirmaram ter votado em Dilma Rousseff e 37,8% em Aécio Neves nas eleições de outubro

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Além de dados mostrando que 59,7% dos entrevistados são favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff (quando lembrados que no Brasil já houve afastamento pelo Congresso Nacional, ante 34,7% que são contra e 5,6% que não souberam ou não responderam, a pesquisa CNT/MDA divulgada na tarde de hoje mostrou outros dados que devem gerar preocupação para o governo.

Segundo a pesquisa feita com 2.002 eleitores em 137 municípios entre os dias 16 e 19 de março, se a eleição presidencial fosse hoje, 55,7% votariam em Aécio Neves no 2º turno, ante 16,6% que votariam em Dilma Rousseff e 22,3% que votariam em branco ou nulo.

No 2º turno da eleição presidencial de 2014, 41,6% dos entrevistados afirmaram ter votado em Dilma Rousseff e 37,8%, em Aécio Neves. Já 10,8% disseram ter votado em branco ou nulo.

Aprenda a investir na bolsa

Cerca de 38% dos entrevistados acreditam que o governo de Aécio seria melhor que o atual, enquanto 32,6% acreditam que seria igual, 17,4% avaliam que o governo tucano seria pior que o de Dilma e 12% não souberam ou não responderam.

Neste início de segundo mandato, 7,5% avaliam o desempenho do governo Dilma Rousseff como positivo e 72,2% como negativo. Já 75,4% consideram que o segundo mandato da presidente Dilma está pior do que o anterior, enquanto  16,4% disseram que está a mesma coisa. Para 2,8%, está melhor e 4,4% não souberam avaliar.

Para 81,0%, a presidente Dilma Rousseff não está cumprindo com o que prometeu nesses primeiros meses de atuação, enquanto 12,9% consideram que está cumprindo parcialmente. Já 4,7% disseram que ela está cumprindo sua promessa.

Caso Petrobras
A pesquisa destaca que 85% têm acompanhado ou ouviram falar das denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras. Entre aqueles que acompanham ou já ouviram falar, 68,9% consideram que a presidente Dilma é culpada pela corrupção que está sendo investigada na Petrobras e 67,9% acham que o ex-presidente Lula é culpado.

Em relação aos que acompanham ou já ouviram falar das denúncias de corrupção da Petrobras, 75,7% tomaram conhecimento da lista de políticos suspeitos que estariam envolvidos no esquema de desvio de dinheiro. Entre os que acompanham ou já ouviram falar das denúncias e tomaram conhecimento da lista, 90,1% acreditam que os nomes citados estão realmente envolvidos no esquema de corrupção.

E, entre os que acompanham ou ouviram falar das denúncias de corrupção na Petrobras, 65,7% acreditam que os envolvidos no esquema de desvio de dinheiro não serão punidos e 57,4% acreditam que o governo federal não será capaz de combater a corrupção.

Crise econômica
Enquanto isso, 66,9% acreditam que as medidas tomadas atualmente pelo governo federal não serão capazes de reverter a crise em que o país se encontra. Entre aqueles que acreditam que as medidas tomadas serão capazes de reverter a crise, 51,0% consideram que os problemas serão resolvidos em um longo prazo (3 a 4 anos).

PUBLICIDADE

E dos entrevistados, 82,9% avaliam que a presidente Dilma não está sabendo lidar com a crise econômica enquanto, para 49,5%, até o final do mandato a situação vai piorar. Na avaliação de 63,9%, a atual situação econômica do Brasil é resultado, principalmente, da corrupção,  enquanto 26,5% consideram que é resultado da má gestão pública.

Sobre a reforma política, 51,1% não estão acompanhando as discussões, enquanto 39,6% consideram que uma reforma política contribuirá, em parte, para resolver vários problemas atuais do país, como a corrupção. Já 14,3% consideram que resolverá totalmente e outros 33,2% avaliam que a reforma política não resolverá os esses problemas.