Pesquisa eleitoral

CNT/MDA: Dilma “passa” Marina no 2° turno com 42% dos votos; Aécio cresce

Em simulação de segundo turno, intenções de voto na Marina caíram 4,5 pontos, mas mantendo o empate técnico com a pestista

SÃO PAULO – A pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira (23) mostrou um leve crescimento de Dilma Rousseff no 1º turno e uma queda mais significativa de Marina Silva (PSB), além de apresentar um cenário ainda mais acirrado na disputa para o 2º turno entre as duas candidatas.

Segundo os dados apresentados, Dilma subiu de 30,9% para 31,4% na pesquisa espontânea, enquanto Marina caiu de 25,8% para 23% de Marina Silva. Aécio Neves (PSDB) mostrou um forte crescimento de 4,3 pontos percentuais, chegando a 14,4% das intenções de voto, e permanece na 3ª posição. 

Luciana Genro (PSol) pontuou 0,7%, Pastor Everaldo (PSC) aparece com 0,4% e os outros candidatos com 0,7%. Os eleitores que não sabem ou não responderam à pergunta para primeiro turno somaram 9,3%. Com a possibilidade de uma resposta múltipla, Marina aparece em primeiro lugar, com 34,8%, seguida por Dilma, com 33,7%. Em terceiro vem Aécio, citado por 28,9% dos eleitores.

PUBLICIDADE

Dilma e Marina “empatadas” no 2° turno
No cenário simulado de segundo turno entre PT e PSB, o empate técnico persiste mas com Dilma na frente de Marina: 42% a 41%. Na pesquisa anterior, a ambientalista tinha 45,5% das intenções de voto, contra 42,7% da petista.

Na disputa com Aécio Neves, ambas candidatas mantém vantagem. Dilma Rousseff venceria o tucano por 45,5% a 36,5%, enquanto Marina Silva aparece com 43,1%, contra 32,9% do candidato do PSDB. 

A pesquisa mostra ainda que 51,2% dos entrevistados acreditam que a atual presidente será reeleita; 29,2% colocam suas apostas em Marina Silva; e apenas 7,7% consideram que Aécio será o vencedor. 

Avaliação do governo
Para os 37,4% dos entrevistados, a avaliação do governo Dilma Rousseff é positiva. Para 25,1%, é negativa. Os resultados variaram pouco se comparado com a pesquisa anterior, quando a avaliação positiva era 37,5% e negativa para 23% dos entrevistados.

A pesquisa entrevistou 2.002 eleitores entre os dias 20 e 21 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. O levantamento foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-00753/2014.