CNI/Ibope evidencia votos para a presidência divididos em três terços, diz LCA

PT e PSDB devem brigar por parte de eleitores remanescente e que decidirá resultado, assim como ocorreu em eleições anteriores

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Novos candidatos, velhas tendências. Talvez essa seja a frase que melhor contextualize a visão da LCA Consultores sobre a mais recente pesquisa CNI/Ibope, apresentada na última quarta-feira (17). De acordo com a consultoria, as atuais intenções de voto do eleitorado brasileiro apontam para um mesmo cenário visto em outras quatro disputas presidenciais no País, quando os eleitores se dividiram em três partes iguais.

Assim como ocorreu nas eleições de 1994, 1998, 2002 e 2006, a LCA enxerga nos eleitores uma composição baseada em “três terços”, onde um terço dessas intenções de voto está para a candidata Dilma Roussef (PT) e um terço para José Serra (provável candidato do PSBD).

A parte restante é a que decidirá a eleição, assim como foi nos anos anteriores, quando o PSBD ganhou em 1994 e 1998 com Fernando Henrique Cardoso e o PT venceu nas outras duas disputas com o atual presidente do País, Luis Inácio Lula da Silva. “O quadro de polarização poderá reproduzir aproximadamente a configuração das eleições presidenciais anteriores”, diz a equipe de consultores.

Aprenda a investir na bolsa

Serra estável…
Ainda interpretando os dados das últimas pesquisas do CNI/Ibope, a LCA avalia a movimentação das intenções de votos dos dois principais candidatos à presidência da República. A começar por Serra, que continua com um percentual estável em torno de 35%. De setembro de 2009 pra cá, a pontuação mínima e máxima alcançada pelo possível candidato do PSBD nas pesquisas foi 31,8% e 39%.

“Essa leitura dá sustentação para a hipótese de que Serra deve estar computando, nos percentuais de suas intenções de voto, uma boa parcela de eleitores convictos no voto positivo (em Serra) e negativo (contra Dilma, Lula e o PT), que o conhecem e que não tendem a mudar para Dilma”, argumentam os especialistas.

…Dilma em alta
Contudo, enquanto o candidato tucano apoia-se na fidelidade de seus eleitores, Dilma tem mostrado um forte crescimento nas pesquisas da CNI/Ibope. Nos últimos sete meses, a candidata do presidente Lula viu suas intenções de votos passarem de 14% para 30%, diminuindo a distância em relação à Serra para 5 pontos percentuais – ante 20 p.p., resultado visto há sete meses atrás.

Para a LCA, com o forte avanço da candidata petista nas pesquisas e a estabilidade nas intenções de voto para Serra, “parece certo que Dilma cresceu ao conquistar intenções de voto que não eram de Serra”, ou seja, os votos destinados a outros candidatos com menores participações, como Ciro Gomes (PSB, atualmente com 11% das intenções de voto), e também do grupo de eleitores indecisos ou que votarão em outros candidatos, em branco ou nulo – atualmente 18% do eleitorado.
 

Eleições 2010
José Serra (PSBD)Dilma Roussef (PT)

 – Tem se mantido estável e na liderança 

 – Poderá crescer a partir do momento
em que entrar na campanha

PUBLICIDADE

 – Intenções de voto*: 35%

 – Tem crescido à medida que sua imagem é 
mais vinculada à de Lula

 – Tem obtido votos potenciais de eleitores
inclinados a Ciro ou a nenhum candidato

 – Intenções de voto*: 30%

* De acordo com os dados da última pesquisa CNI/Ibope