Campanha

Ciro Gomes: brasileiro não quer escolher entre um fascista e as contradições do PT

"Até a reta final, ainda haverá muitos momentos de emoção e viradas. Mas acredito em final feliz", disse

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Neste domingo (16), durante ato no parque do Ibirapuera, em São Paulo, o candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) voltou a atacar seus concorrentes diretos por uma vaga no segundo turno.

Quer investir em ações com a menor corretagem do Brasil? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Sem citar nominalmente Jair Bolsonaro (PSL), ele disse que o brasileiro “não quer e não merece” um segundo turno para ter que decidir entre um “fascista” e “as enormes contradições do PT”, se referindo a Fernando Haddad (PT).

PUBLICIDADE

Segundo ele, o PT, sem pensar no Brasil e buscando apenas se perpetuar no poder, fez alianças com grandes nomes do MDB, como o deputado Eduardo Cunha e os senadores Eunício Oliveira e Renan Calheiros. “O PT está fazendo isso de novo, não aprendeu nada”, disse.

Sobre o rápido crescimento de Haddad nas pesquisas eleitorais, Ciro afirmou que é preciso ter calma e que é normal ocorrerem reviravoltas em eleições. “Até a reta final, ainda haverá muitos momentos de emoção e viradas. Mas acredito em final feliz”, ressaltou.

Por fim, o pedetista disse que a população não deve se guiar pelas pesquisas, mas sim pela responsabilidade. Ciro completou ainda dizendo que sua candidatura é uma alternativa para a “polarização odienta” que tomou conta do País: “quero unir o Brasil que produz e trabalha”.