China conduz testes para prever resultados de uma valorização do yuan

Simulação é realizada com mil companhias de 12 setores distintos; eletrônicos e maquinário industrial serão os mais afetados

SÃO PAULO – Em meio às pressões externas sobre o controle da cotação do yuan, em especial dos EUA , o governo chinês conduz testes com o objetivo de apurar quais seriam os efeitos que uma valorização da moeda traria às suas companhias. 

Com isso, os oficiais do gigante asiático dão um claro sinal de que o país está se preparando para uma mudança em sua política monetária. 

Detalhes do Teste
O teste é conduzido pelo Conselho da China para a Promoção do Comércio Internacional e é realizado com mais de mil empresas de 12 diferente indústrias. 

PUBLICIDADE

Segundo o vice-presidente do Conselho, Zhang Wei, formuladores de política chineses devem atrasar a valorização da moeda para dar mais tempo aos exportadores recuperarem as perdas decorrentes da crise global. 

Decorrência da valorização
As simulações apontam que os setores de eletrônicos e maquinário industrial seriam os mais afetados com um possível aumento na cotação do yuan, uma vez que possuem certa de US$ 150 bilhões em pedidos de exportação. 

Além destes, construtores de transformação, como o setor têxtil e de móveis – os quais possuem margens abaixo de 3% – iriam “imediatamente entrar em falência”, afirmou Zhang. Os resultados finais das simulações sairão no dia 27 de abril. 

Disputa Sino-americana
As pressões sobre uma mudança na política chinesa se intensificaram após anuncio do premiê Wen Jiabao no última dia 14, afirmando que o yuan não está subvalorizado e que os críticos da política chinesa buscam o “protecionismo”. 

Na última sessão, horas após o embaixador norte-americano para a China, Jon Huntsman, afirmar que seu governo espera “ver mais flexibilidade” na gestão do yuan, o porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Qin Gang, disparou que o valor do yuan “não é a principal causa” do déficit comercial dos EUA. 

Controle do yuan
A China controla a flutuação de sua moeda desde julho de 2008, medida esta adotada como forma de socorrer os exportadores perante os impactos da crise financeira internacional.