Chávez chama Congresso brasileiro de “papagaio” dos norte-americanos

Presidente venezuelano faz declarações em resposta a requerimento do Senado para renovação da concessão da RCTV

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em declaração feita na quinta-feira (31), o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou que o Senado brasileiro age “como um papagaio” do Congresso norte-americano. A declaração foi feita em um canal aberto da TV venezuelana durante transmissão ao vivo. A afirmação de Chávez ocorre depois de o Senado brasileiro ter aprovado um requerimento em que pede a renovação da concessão do canal de tv venezuelano RCTV.

Ao manifestar-se sobre o assunto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que Chávez deve cuidar da Venezuela, assim como ele do Brasil e George W. Bush dos EUA. Lula ainda posicionou-se por meio de nota oficial do Itamaraty, informando que irá convocar o embaixador da Venezuela no Brasil para prestar “indispensáveis esclarecimentos”.

E não é somente sobre a repercussão do fim da RCTV no Brasil que Chávez se pronunciou. Anteriormente, o presidente venezuelano havia criticado o Parlamento europeu e os Senados chileno e norte-americano por terem se posicionado sobre o assunto.

Resposta do Congresso

PUBLICIDADE

Chávez complementa sua declaração sobre o Senado brasileiro dizendo que “este Congresso faz um mau favor à causa sul-americana. A esses representantes da direita brasileira, eu digo que é muito mais fácil que o império português a se instalar em Brasília do que o governo da Venezuela devolver a concessão à oligarquia venezuelana”.

Cientes das afirmações do presidente venezuelano, líderes partidários pronunciaram-se a respeito. O líder do Partido Democrata (DEM), José Agripino Maia, disse que “o presidente Chávez é definitivamente um inconseqüente verbal”. O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) acusou Chávez de agir na “contramão da democracia” e o presidente da Câmara Arlindo Chinaglia (PT) classificou sua ação como “desrespeitosa”.

O senador Eduardo Azeredo (PSDB), que é vice-presidente da Comissão de Relações Exteriores e membro do Parlamento do Mercosul, anunciou que as críticas de Chávez ao Senado brasileiro serão colocadas em pauta na próxima reunião do Parlamento do Mercosul. Azeredo afirmou que agora fica mais difícil a entrada da Venezuela no bloco econômico pois há uma demonstração de “escalada antidemocrática” no país.