MELHORES DA BOLSA 2020 AO VIVO Do Zero ao Topo: CEOs de Totvs, Stefanini e Locaweb discutem o papel do setor de tecnologia no mercado brasileiro

Do Zero ao Topo: CEOs de Totvs, Stefanini e Locaweb discutem o papel do setor de tecnologia no mercado brasileiro

Eleições 2018

Centrão pressiona por troca de Alckmin por Doria em corrida presidencial e vê Ciro com mais chances de vencer

Segundo reportagem do jornal Valor Econômico, uma manobra liderada pelo "centrão" da Câmara visa uma troca no nome tucano para a disputa

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em meio às dificuldades de mostrar viabilidade de sua candidatura à presidência, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) vê novamente crescer a sombra do ex-prefeito paulistano João Doria como plano alternativo para a disputa. Conforme noticia o jornal Valor Econômico, uma manobra liderada pelo “centrão” da Câmara visa uma troca no nome tucano para a corrida presidencial.

Quer saber mais sobre o cenário político e como se aproveitar dele? Conheça o Mapa Político

A ideia seria lançar Doria para a presidência e deslocar Alckmin para uma candidatura ao Senado juntamente com o jornalista José Luiz Datena. Nestas eleições, serão escolhidos os ocupantes de dois assentos representativos de cada Unidade da Federação na casa legislativa. A campanha do ex-governador detectou o movimento, mas aliados dizem que nenhum dos grupos, no momento, tem força política para derrubar a candidatura hoje posta.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo a reportagem, a ideia da substituição passou pelo gabinete do presidente Michel Temer e integrantes do grupo mais próximo a ele, em um esforço para envolver ao menos parte do MDB na composição. Uma ala do partido aceitaria uma aliança se o candidato fosse Doria em vez de Alckmin. A matéria destaca articulações envolvendo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), caciques emedebistas e até mesmo o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Uma das manobras concretas citadas para forçar um reposicionamento da candidatura tucana à presidência consistiu na disseminação da hipótese de Datena, recém-filiado ao DEM, ser candidato ao Palácio do Planalto. O apresentador seria uma espécie de “bode na sala”, que forçaria o PSDB a se abrir à possibilidade de mudar seu cabeça de chapa, para garantir apoio do DEM e de outros partidos do “centrão”. Neste momento, sabe-se que Datena deverá ser candidato a uma das vagas ao Senado por São Paulo.

Já o jornal O Estado de S.Paulo noticia que membros dos partidos do chamado “centrão” avaliam que o ex-governador cearense Ciro Gomes (PDT), entre os nomes que avaliam apoiar, é o com mais chances de vitória. Tal cenário teria sido exposto por pesquisa contratada por DEM, PP, PRB e Solidariedade. Algumas lideranças do grupo têm sustentado que, embora Alckmin seja visto como candidato preparado para o cargo, é preciso estar presente na coligação que vai vencer a disputa. A corda segue esticando do lado do tucano.

Quer saber mais sobre o cenário político e como se aproveitar dele? Conheça o Mapa Político