Política

Centrão desiste de Ciro Gomes e decide apoiar Geraldo Alckmin, diz jornal

Entre os acordos, o tucano teria se comprometido a compensar o fim do imposto sindical de forma a garantir a sobrevivência dos sindicatos.

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após os boatos ganharem força durante a tarde desta quinta-feira (18), os líderes do centrão fecharam acordo para apoiar o ex-governador Geraldo Alckmin na corrida presidencial, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo.

A publicação diz que foi realizada uma reunião em que o grupo acertou os termos com o tucano, restando agora uma validação interna formal nos partidos para que seja anunciado.

Mais cedo, o Estadão afirmou que o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, já havia informado aos dirigentes estaduais que a sigla iria apoiar o ex-governador, mas que o anúncio oficial deve ocorrer apenas no dia 26 de julho.

PUBLICIDADE

Com este apoio, Alckmin ganhará uma fatia significativa de tempo de televisão, o que pode oferecer uma melhor estrutura para a campanha do tucano, tanto na mídia quando em palanques regionais, fortalecendo sua candidatura. Com a aliança do Centrão, PPS, PV, PTB e PSD, com quem já tinha acordo, o tucano deve chegar a 6 minutos de tempo na TV.

De acordo com a Folha, a resistência que vinha do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi vencida, e ele foi convencido a desistir de Ciro Gomes por seus rompantes e incompatibilidade ideológica. O Centrão sugeriu Josué Alencar para ser o vice da chapa e Alckmin não teria mostrado resistência.

Leia também: Josué Gomes: quem é o empresário que pode ser vice de Alckmin

Entre os acordo que foram fechados, o ex-governador teria se comprometido a compensar o fim do imposto sindical de forma a garantir a sobrevivência dos sindicatos. Alckmin disse ao jornal, por meio de sua assessoria, que nada foi definido e o possível anúncio deve ocorrer apenas na próxima semana.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear