AO VIVO Radar InfoMoney fala sobre a fusão entre Localiza e Unidas e a disparada das ações do IRB - será que o jogo virou para a empresa na Bolsa?

Radar InfoMoney fala sobre a fusão entre Localiza e Unidas e a disparada das ações do IRB - será que o jogo virou para a empresa na Bolsa?

Exonerados

Casa Civil exonera mais 12 integrantes da equipe de Dilma, incluindo “Bessias”

Assessor Jorge Rodrigo Araújo Messias ficou conhecido por conta de um dos áudios entre Lula e Dilma revelados em março

Uma portaria da Casa Civil publicada no Diário Oficial da União de hoje (9) exonerou diversos integrantes da equipe da ex-presidente Dilma Rousseff. Os doze servidores exonerados faziam parte da chefia de gabinete ligada à Presidência da República, e trabalhavam com Dilma no Palácio da Alvorada durante o período em que ficou afastada.

Foram exonerados os seguintes assessores especiais do gabinete pessoal e do gabinete adjunto da Presidência da República: Bruno Gomes Monteiro, Daisy Aparecida Barreta, Deise Veridiana Fortes Ramos, Elisa Smaneoto, Maria da Solidade de Oliveira Costa, Mário Renato Gomes Marona, Marly Ponce Branco, Roberto França Stuckert Filho, Rosemeri Duarte Ferreira, Eden Valadares Santos, Sandra Marcia Chagas Brandão e Jorge Rodrigo Araújo Messias. 

Jorge Messias era o subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil quando Dilma ocupava a Presidência e ficou conhecido como “Bessias”: em um dos áudios divulgados em março, a ex-presidente disse a Lula que estava enviando o “Bessias” com o termo de posse do ministro-chefe da Casa Civil para Lula usar em caso de necessidade. Na época, a gravação foi vista como uma tentativa de o governo embaraçar as investigações da Lava Jato. Já Stuckert era o fotógrafo oficial do Planalto.

PUBLICIDADE

Dois integrantes da equipe de Dilma passarão a exercer a função de assessores especiais de ex-presidente da República: Olímpio Antônio Brasil Cruz, atual assessor de imprensa, e Paula Zagotta de Oliveira.

Como ex-presidente, Dilma não receberá salário, mas terá direito a oito servidores, sendo dois assessores, quatro seguranças e dois motoristas, além de dois carros. Todas as despesas relacionadas à gestão dos servidores e dos dois veículos serão custeadas pela Casa Civil, com recursos do Tesouro Nacional. 

(Com Agência Brasil)