Perfil

Campos: o pernambucano que se desvinculou de Lula para propor uma 3ª via ao Brasil

Nascido no Recife em agosto de 1965, Campos é casado e pai de cinco filhos e tem o apoio de Marina Silva para se firmar como uma alternativa para o Brasil

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois de ser deputado estadual, três vezes deputado federal, secretário estadual de Governo e de Fazenda, ministro da Ciência e Tecnologia e governador de Pernambuco por dois mandatos, o economista pernambucano Eduardo Henrique Accioly Campos concorre pela primeira vez ao cargo mais importante da política brasileira.

Nascido no Recife em agosto de 1965, Campos é casado e pai de cinco filhos. Eduardo Campos começou a carreira política ainda na universidade, como presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco).

Aprovado no vestibular desta instituição com 16 anos, concluiu a faculdade aos 20, como aluno laureado e orador da turma. Neto do também político Miguel Arraes, Eduardo conviveu desde cedo com nomes bastante importantes e emblemáticos da política. 

Aprenda a investir na bolsa

Em 1986, Campos teve a oportunidade de fazer mestrado nos EUA, mas trocou-a pela participação na campanha que elegeu o seu avô governador de Pernambuco. No ano seguinte, passou a atuar como chefe do gabinete do governador.

O pernambucano se filiou em 1990 ao PSB, o seu atual partido, sendo eleito deputado estadual no mesmo ano e reeleito em 1994. Foi secretário de governo e secretário da fazenda entre 1995 e 1998 no governo de seu avô. Em 1998, voltou a disputar um novo mandato de deputado Federal e atingiu uma votação recorde de 173.657 mil votos, a maior votação no estado.

Em 2004, Eduardo Campos assumiu o ministério da Ciência e Tecnologia no governo Lula e, em 2005, assumiu a presidência nacional do seu partido. Em 2006, se lançou candidato ao governo de Pernambuco, sendo reeleito em 2010 como o governador mais votado do Brasil, com 80% dos votos. 

Campos concorre à presidência em 2014, firmando aliança programática com Marina Silva, ex-senadora pelo Acre e ex-ministra do Meio Ambiente da primeira gestão do governo Lula e atual líder da Rede Sustentabilidade. A dupla confirmou a pré-candidatura da chapa que terá Campos como candidato a presidente e Marina na vice, através da coligação Unidos Pelo Brasil (PSB, PHS, PRP, PPS, PPL, PSL), propondo uma terceira via, como uma alternativa à polarização PT X PSDB das últimas eleições. 

(Com Agência Brasil)