Campanha de Kassab teve mais doações “ocultas” do que de outros candidatos

Prefeito arrecadou R$ 29,8 milhões, sendo que quase 48% são provenientes do diretório nacional do partido democrata

SÃO PAULO – Além de passar à frente de Marta Suplicy (PT) na corrida pela Prefeitura de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM) ganhou outro páreo, o de doações não identificadas para a sua campanha eleitoral, de acordo com reportagem publicada pelo jornal Valor Econômico nesta quarta-feira (26).

No período pré-eleitoral, Kassab conseguiu arrecadar R$ 29,8 milhões em contribuições, dos quais boa parte veio do comitê financeiro único de seu partido, o Democratas, que arrecadou R$ 34,4 milhões no mesmo período.

Segundo a matéria publicada, R$ 16,8 milhões, ou aproximadamente 48% do total, foram obtidos por doações do diretório nacional do partido, pelo qual empresários podem colaborar com campanhas sem se identificar.

PUBLICIDADE

Em relação aos doadores identificados, a Camargo Corrêa aparece em primeiro lugar, com uma doação de R$ 3 milhões, seguida pela EIT com R$ 2,1 milhões e pela Serveng Civilsan com R$ 1,2 milhão. A CR Almeida e OAS doaram R$ 1 milhão e R$ 800 mil respectivamente.

Campanha de Marta

Já Marta Suplicy ficou com o segundo lugar em volume de doações, com R$ 21 milhões. Também em seu caso, as contribuições não identificadas ficaram com a maior fatia. Cerca de R$ 8,5 milhões, ou cerca de 40%, vieram dos diretórios do partido.

Entre os principais doadores identificados, se destacam a W/Torre com R$ 1 milhão, a EIT com R$ 600 mil, a CR Almeida com R$ 400 mil, assim como o Grupo Gerdau (R$ 200 mil) e a BM&F/Bovespa (R$ 200 mil).