Acordo

Camargo Corrêa negocia “superdelação” que pode envolver 200 políticos, diz Veja

Segundo a matéria, as delações devem envolver cerca de 200 políticos, inclusive nomes importantes do governo de Michel Temer

SÃO PAULO – A Camargo Corrêa está negociando a delação premiada de cerca de 40 executivos da companhia, segundo matéria veiculada na revista Veja desta semana. De acordo com a publicação, uma das maiores empreiteiras do país, negocia com a Procuradoria-Geral da República uma segunda leva de delações, nos moldes do acordo feito pela Odebrecht.

Ainda segundo a matéria, as delações devem envolver cerca de 200 políticos, inclusive nomes importantes do governo de Michel Temer. O texto diz que a Camargo Corrêa promete até reviver casos da Operação Castelo de Areia, que tinha a construtora no centro do escândalo e envolvia um esquema de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, mas que foi encerrada pela Justiça.

Nas planilhas desta operação, já se falava que o atual presidente era citado pelo menos 21 vezes, enquanto outros nomes como Gilberto Kassab (PSD), Mendonça Filho (DEM), Renan Calheiros (PMDB) e Romero Jucá (PMDB) também apareciam. Antonio Palocci também deve aparecer nesta “superdelação”.