AO VIVO Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Cada brasileiro consome, em média, 30kg de plástico reciclável por ano

Apenas em 2010, foram consumidas 5,9 mil toneladas desse material, o que representa 50% a mais do que há dez anos

SÃO PAULO – No dia 1º de janeiro de 2012, as sacolinhas plásticas serão banidas do comércio na cidade de São Paulo. Isso significa que os consumidores deverão usar alternativas para carregar as compras em padarias, supermercados, farmácias e outros estabelecimentos. Mas você sabe qual o impacto do plástico na vida do brasileiro?

De acordo com um levantamento feito pela Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química), cada brasileiro consome, em média, 30 quilogramas de plástico reciclável por ano. Apenas em 2010, o anuário do setor apontou que foram consumidas 5,9 mil toneladas de plástico, o que representa 50% a mais do que há dez anos.

Os dados foram apresentados na última quinta-feira (7), durante seminário na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo). De acordo com a Agência Brasil, ele faz parte dos debates preparatórios para a 12ª Conferência das Cidades.

PUBLICIDADE

PNRS e a reciclagem
Durante o seminário, a importância da reciclagem dos materiais plásticos foi lembrada pela especialista em plásticos e pesquisadora do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), Lucilene Betega de Paiva. Segundo ela, a PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos) pode ajudar a “transformar um passivo ambiental em uma fonte de recursos financeiros”.

Instituída no ano passado, a PNRS estabelece regras para a destinação do lixo produzido no País, dando prioridade exatamente para a reciclagem.

Desafio: fim dos lixões!
Outro ponto abordado pela PNRS é o fim dos lixões, o que significa que os resíduos que não podem ser reciclados deverão ser levados para aterros sanitários.

Entretanto, para que o Brasil consiga cumprir o que foi estabelecido por essa legislação, ele precisa avançar muito, conforme mostram dados da Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais).

Segundo levantamento feito pela entidade em 350 cidades que concentram quase metade da população urbana do País, 42% do lixo não receberam uma destinação adequada no ano passado: enquanto 23 milhões de toneladas de lixo foram levadas para locais não apropriados, outras 31 milhões de toneladas foram para aterros que evitam contaminação de água e solo.