Segundo Estadão

Bumlai confirma à PF que intermediou palestra feita por Lula em Angola

A solicitação de intermediação era para que Lula desse uma palestra no Centro de Estudos Avançados de Angola a convite do general angolano João Baptista de Matos, empresário do setor da mineração

SÃO PAULO – O empresário e pecuarista José Carlos Bumlai, preso no âmbito da Operação Lava Jato, confirmou em depoimento à Polícia Federal que atendeu um pedido de Fernando Baiano, um dos delatores da Lava Jato. A solicitação de intermediação era para que Lula desse uma palestra no Centro de Estudos Avançados de Angola a convite do general angolano João Baptista de Matos, empresário do setor da mineração.

Quer saber onde investir em 2016? Veja no Guia Especial InfoMoney clicando aqui!

Segundo o jornal, o lobista já afirmara à PGR (Procuradoria-Geral da República) ter pedido ao pecuarista que intermediasse o convite para que o ex-presidente ir a evento no país africano, em 2011. 

PUBLICIDADE

A fala de Bumlai ocorreu no dia 21 de dezembro. A PF indagou reiteradamente se o pecuarista havia tratado de questões comerciais ou políticas com Lula. Ele disse que “não”, mas acrescentou que “muitas pessoas encaminhavam demandas via e-mail ao Instituto Lula e que, na ausência de respostas, solicitavam ao reinterrogando, na medida do possível, que fizesse contato junto ao Instituto para viabilizar ao menos a apreciação dos pedidos”.

Fernando Baiano afirmou que o general angolano desejava falar com Lula sobre negócios na área de mineração, onde o militar tem investimentos. “O general Baptista queria estar pessoalmente com Lula para tratar da Vale do Rio Doce em negócios em Angola; que o general Baptista tinha uma sociedade em uma mina de minério de ferro com a Vale do Rio Doce em Angola e ele queria uma maior atenção da empresa para o tema; que então Bumlai marcou para o presidente Lula receber o general Baptista na suíte dele, o que realmente ocorreu”. 

Procurado pelo jornal, o Instituto Lula ainda não havia respondido à reportagem.