Adiado

Briga entre Fazenda e Petrobras leva ao adiamento de reunião; ADR cai 4,1%

Tudo depende dos números de inflação a serem divulgados agora no mês de novembro - se forem baixos o suficiente, o governo deverá conceder o reajuste que a Petrobras vem pedindo

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O governo Dilma Rousseff adiou a reunião do conselho da Petrobras (PETR3; PETR4), que estava prevista para o dia 22, noticiou a Folha de S. Paulo nesta quarta-feira (20). De acordo com o jornal, há divergências graves entre o Ministério da Fazenda e a estatal – o que impossibilita a discussão para a criação do mecanismo de reajuste automático para gasolina e diesel. 

A Folha acredita que o novo encontro será no dia 28 de novembro. Tudo depende dos números de inflação a serem divulgados agora no mês de novembro – se forem baixos o suficiente, o governo deverá conceder o reajuste que a Petrobras vem pedindo. Não se sabe se esse reajuste seguirá a nova fórmula, ou isso será esperado apenas para o próximo ano. 

Com isso, os ADRs (American Depositary Receipts) PBR, referentes a ação ordinária da empresa, fecharam com forte queda de 4,14%, para US$ 16,89. A diretoria da empresa, liderada por Maria das Graças Foster, criou uma metodologia de reajuste automático, mas essa ainda não foi aprovada por Guido Mantega, ministro da Fazenda.

Aprenda a investir na bolsa

Supostamente, Mantega não teria gostado do modelo e pediu ajustes no mecanismo na reunião do conselho. Ele teria se sentido traído com a forma que a Petrobras divulgou isso ao mercado – alertando que haveria uma reunião para a decisão. Para o ministro, isso só deveria ter vindo a público depois que houvesse uma reunião do governo sobre metodologia.